Política nacional 04/10/2010

“Defenderei, aconteça o que acontecer,a liberdade de imprensa”.


José Serra, candidato do PSDB, sobre as ameaças dos petistas às liberdades.

Lula transferiu votos… para o segundo turno
Com que cara fica “o cara” agora? Nem as pesquisas pré-eleitorais, nem a popularidade de 74% do presidente influenciaram os números que brotaram das urnas, neste 3 de outubro. Tudo indica que a “bichinha palanqueira”, como diz Lula, enfrentará mais palanques – não alçou voo sozinha, abatida pelos escândalos da amiga e ex-“braço direito” Erenice Guerra (& Filhos). O tucano José Serra, terá de se virar: deu sorte, diante da “candidata sem experiência administrativa”.

Marina ‘pintou’
A conversa do PV de Marina Silva com o PSDB Serra já começou:  o “fenômeno” desta eleição contaminou o “meio ambiente” de Dilma.

Segundo round
Dilma terá que “descarregar” escândalos que emperraram seu caminho no primeiro turno. Serra preparar-se para não sobrar também para ele.

A festa terá que esperar
Como revelamos, sábado, Dilma posou como presidente para revistas semanais. O presidente Lula montou uma grande “festa da vitória”.

Zona de perigo
A popularidade de Lula sobe quase na mesma proporção em que o dólar cai perigosamente. Deve ter algum simbolismo nessa gangorra…

Erenice Guerra
A ex-ministra da Casa Civil Erenice Guerra terá que deixar em 17 de outubro a mansão no conjunto 15 da SHIS QL 12, na exclusiva Península dos Ministros, em Brasília, quando acaba o prazo de 30 dias após a exoneração, publicada no Diário Oficial da União. Ela deixou o cargo dia 16 (quinta). Na segunda, 18, dará adeus aos cinco meses de mordomias de praxe. Em último caso, poderá morar com os parentes.

Criança é uma cachaça
Uma cachaçaria de Brasília vai dar brindes infantis no Dia da Criança para “promover o relacionamento com o futuro consumidor”.

Zé e Rafa
O Brasil espera que a rebelião no Equador não vire o “golpe” de Honduras. Ainda bem que o presidente Rafael Correa não usa chapéu.

Põe na conta
O Ibope errou outra vez no DF. Sua “boca de urna” previu que Agnelo Queiroz (PT) venceria no primeiro turno com 52% dos votos. Deu 48%.

O vencedor leva tudo
O grande vencedor desta eleição, o ex-governador Aécio Neves, mostrou que de “menino do Rio” nada tem: o tucano surfou em Minas, reelegendo Anastasia. Senador eleito, Aécio é “o cara” de 2014. 

Prato servido frio
Aliado de primeira hora do governo Lula, o governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) devolveu a humilhação imposta por Jarbas Vasconcelos (PMDB) ao avô Miguel Arraes. Foi de goleada: 82×14%.

Outro campeão
Ser aliado de Lula não garantiu necessariamente bom desempenho. No Amazonas, ao contrário, seu ex-ministro dos Transportes Alfredo Nascimento foi triturado por Omar Aziz (PMN) nas urnas: 63×25%. 

O expresso Tiririca
E o palhaço, o que é? Campeão de votos no espetáculo montado pelo PT, o candidato 2222 arrastou o voto expresso dos que acham que “pior não fica”. Ou acreditam que do fundo do poço algo sai. Debalde.

O pé esfriou
Lula marcou com Dilma e Agnelo comemorar ontem suas vitórias em primeiro turno, em Brasília. Estava tudo organizado. Mas com seu pé-frio, teve de celebrar Tarso Genro (RS), que ele tanto detesta.

Ação entre primos
Com a retomada do controle do PMDB-SP por Michel Temer, o partido deverá mesmo ganhar o reforço do prefeito paulistano Gilberto Kassab, que sai do DEM para não ter de negociar uma aliança com o PSDB de Geraldo Alckmin na escolha do candidato à sua sucessão na prefeitura.

Nos braços de Dilma
Filiando-se ao PMDB de Michel Temer, o prefeito Gilberto Kassab espera se aproximar do eventual governo de Dilma Rousseff, oferecendo a ela o reforço de uma fornida bancada federal kassabista.

Dúvida existencial
A dúvida aflige muitos meninos: aonde fica o bicho de goiaba quando não é tempo de goiaba? Já velho, assalta-o a dúvida transcendental pós-eleitoral: aonde fica Eymael quando não é tempo de Eymael?

Pensando bem…
…será de arrepiar um segundo turno no… Dia das Bruxas.

PODER SEM PUDOR

Tucanos à venda
O presidente tucano FHC falava a senadores sobre o escândalo de tráfico de influência no Sistema de Vigilância da Amazônia. O saudoso catarinense Vilson Kleinubing quis saber de sua conversa com Bill Clinton sobre o caso.

– Com ele eu falei apenas sobre a venda dos Tucanos – esclareceu FHC, referindo-se ao avião de treinamento produzido na Embraer.

Bate-pronto de outro catarinense, Esperidião Amin, arrancando risadas:

– Mas, presidente, o senhor queria vender todos os tucanos ou só alguns?…

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation