Política nacional 05/10/2010

“Eu até já estou com uma gravata verde aqui”.

Governador eleito Geraldo Alckmin, propondo que o PSDB incorpore propostas do PV.

PSDB volta a falar em Aécio de vice, no 2º turno
Dirigentes do PSDB discutiram na madrugada de ontem a hipótese de o mineiro Aécio Neves vir a assumir o posto de vice de José Serra, após a eventual renúncia de Índio da Costa, sem prejuízo dos seus direitos de senador eleito – a serem exercidos até a diplomação, em dezembro. Os tucanos pretendem conversar com Aécio para que ele autorize consulta ao Tribunal Superior Eleitoral sobre a possibilidade.

Chances remotas
Um ex-ministro do TSE descarta Aécio como vice de Serra, agora: “se eu fosse o juiz, negaria. Só se disputa um cargo, em cada eleição”.

Outro descarte
A hipótese de Marina Silva ou alguém do PV vir a compor a chapa de Serra também foi largada: o novo vice só pode sair da atual coligação.

A preferida
Dilma Rousseff venceu a primeira eleição nos 32 presí-dios paulistas: teve 832 votos, contra 274 de Marina e 184 de Serra. Humm…

Gol de placa
Só o tradicional instituto Soma, de Brasília, previu a vitória de Marina Silva (PV) no DF. Todos os demais a davam como terceira colocada.

PF já articula…
Com o final do governo, intensificam-se as indicações para cobiçadas adidâncias no exterior. Cada adido policial nas embaixadas recebe cerca de US$ 15 mil por mês, e auxílio-moradia. O atual vice-diretor da PF, Luis Pontel, deve ir para Lisboa. O diretor de Logística, Rogério Galloro, assumirá em Washington e Leandro Daiello, superintendente de São Paulo, é cotado para a adidância policial em Roma.

Plata quemada
Essa “rebelião” policial no Equador, que quase “derrubou” o presidente Rafael Correa, parece tão real quanto uma moeda de 150 sucres.

Clown
Deputado federal mais votado em São Paulo, Tiririca virou celebridade na imprensa internacional. Ainda acaba estrela do Cirque du Soleil…

Pergunta em Hollywood
O filme “Lula, o filho do Brasil”, também vai para o segundo turno na escolha do Oscar?

Inesquecível
“Bilhete azul” humilhante ninguém esquece. E Marina Silva não deve apagar da memória sua demissão do Ministério do Meio Ambiente, por ordem de Lula e comunicada por Dilma, com seu jeito brutal de ser.

Pistas na floresta
Da então ministra Dilma (Casa Civil) sobre a saída de Marina Silva do Ministério do Meio Ambiente, em 2008: “é preciso deixar claro que a ex-ministra não representa o projeto do presidente Lula”.

Para que facilitar?
O Tribunal Superior Eleitoral tem quase um mês para isso, mas não cogita facilitar a vida do eleitor trocando nome e foto de Joaquim Roriz pelos da mulher Weslian nas urnas, no DF. Alega que estão “lacradas”.

Vassourada
O deputado José Aníbal (PSDB-SP) vai coordenar o “Movimento Popular José Serra”, de mobilização para o 2º turno, à semelhança do “MP Jânio Quadros”. Curiosamente, Aníbal e Serra se odeiam.

Parecia enterro
Lula se irritou ao ver na TV, domingo à noite, a expressão de derrota de Dilma, do vice Michel Temer e do presidente do PT, José Eduardo Dutra. Mandou o ministro Alexandre Padilha tentar “passar otimismo”.

Ponto suspenso
Os delegados ligados à Associação dos Delegados da Polícia Federal (APDF) conseguiram derrubar na Justiça o ponto eletrônico, que engessa investigações que exigem os policiais nas ruas.

Alô, Anatel
Celulares da TIM no DF não fazem nem recebem ligações antes de três ou quatro tentativas. E a conta do mês cresce. O problema técnico com pinta de esperteza não é reconhecido pela TIM. São uns artistas…

Cara no chão
Lula perdeu feio em Mato Grosso do Sul: Serra venceu Dilma, André Puccinelli (PMDB) bateu Zeca do PT e Valdemir Moka, que ele queria derrotar, foi eleito senador. E o ficha suja Dagoberto Nogueira (PDT), candidato do presidente Lula ao Senado, ficou em quarto lugar.

Pensando bem…
…não foi uma boa idéia dar 51% a Dilma nas pesquisas eleitorais.

PODER SEM PUDOR

O ex-futuro ministro

Jânio Quadros era prefeito de São Paulo, em 1988, e recebeu o jovem secretário municipal João Mellão, 31, com uma novidade:
– O senhor é o mais novo ex-futuro ministro da Administração!
Explicou que recebera um telefonema do presidente José Sarney pedindo sua liberação para o ministério. “Recusei de pronto!”, avisou.
– Mas, prefeito, eu seria o mais jovem ministro da História…
– É… – concordou Jânio – e com certeza a carreira política mais curta também… Relaxe, rapaz. E volte ao trabalho!

Assuntos desta notícia

Join the Conversation