Política nacional 08/10/2010

“Petrobras é uma caixa branca, transparente, mas nem tanto assim…”

Presidente Lula sobre a maior estatal brasileira, durante batismo de uma plataforma.

Vingança: Lula quer ‘regular a mídia’ este ano
O presidente Lula planeja impor ao Congresso, ainda em seu governo, o projeto do ministro da Propaganda, Franklin Martins, para “regular a mídia”, sobretudo o segmento de rádio e televisão. A intenção do presidente foi segredada a dois senadores aliados recém-eleitos. O projeto tem sido criticado pela oposição por seu viés autoritário, de inspiração fascista, para controlar a imprensa e inibir as denúncias.

Prioridade
Em plena campanha de Dilma, Franklin Martins viajou para “conhecer modelos de regulação” supostamente adotados em países europeus.

Amestrados
Em Londres, Franklin Martins disse que “a imprensa é livre, o que não quer dizer que é boa”. Para ele, imprensa boa é a que bajula governos.

Raticida
O programa de governo da candidata Dilma vai destacar o meio ambiente. Não o do PT, claro. Essa “poluição” nem Al Gore salva.

Perguntar não espanca
Lula agora acha que a polícia bate em quem tem que bater porque ele não é mais nem pobre nem esquerdista?

Indústria é contra?
A indústria farmacêutica faz campanha contra a decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) instituindo um selo de segurança nos medicamentos, para evitar falsificação, roubo, fraude e sonegação. O selo terá a chancela confiável da Casa da Moeda. A novidade é muito positiva e pode aumentar o preço dos remédios em apenas em R$ 0,07 – uma ninharia, considerando os benefícios.

A resistência
A Interfarma, presidida pelo ex-governador gaúcho Antonio Britto, ligado aos tucanos, e o Sindufarma, combatem o selo da Anvisa.

Loroteiros
O Sindusfarma estima o custo do selo em R$ 0,082 e a Interfarma calculou em “até 23%” o impacto o custo dos remédios. Pura lorota.

Tiriricou
No Rio, ontem, Lula afirmou que depois dele, “qualquer um” pode presidir o Brasil. Se ele acha isso, imagine o Tiririca.

Feio é perder
Ainda envergonha assessores de Dilma o conchavo que fez uma rede de TV antecipar para ela as perguntas a serem feitas num debate intermediário, no primeiro turno – entre o da Band e o último, da Globo. Dilma anotou perguntas (e respostas) em sua inseparável caderneta.

Gratidão
Marina Silva (PV) tem uma dívida de gratidão com o PT, seu ex-partido, que ajudou a fundar: com um histórico de doenças, como hepatite C, foi o PT que financiou um tratamento de US$ 30 mil no exterior.
 
Novos assaltantes
Palavra de especialista: os arrastões no Rio decorrem das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs): quem antes trabalhava para traficantes (vigias, moto-táxi, embaladores, “gatonet” etc), agora virou assaltante.

Por qué no te callas?
Não é só uma questão de pé, mas também de boca-fria: em 2 de outubro, Lula afirmou que “a eleição (de Dilma) deverá refletir a aprovação do governo (…) que tem uma aprovação de 80%”.

Não se bicam
Curiosidade: o maior inimigo do genial Mario Vargas Llosa, novo Nobel de Literatura, é outro escritor latinoamericano, o também genial Gabriel García Márquez, Nobel de 1982. Eles até já trocaram sopapos.

Craques no time
Os deputados eleitos Danrlei e Romário são muito aguardados em Brasília. Não para que se revelem parlamentares atuantes, mas para participarem das peladas de quarta-feira no belo gramado Clube do Congresso, cuja iluminação só comparável à do Maracanã.

Shakespeare & Co
Dica de leitura rápida para Tiririca passar no teste de “alfabetização” da Justiça Eleitoral: “Obras completas do presidente Lula”. O teste escrito é ainda mais simples. Uma linha: “Eu posso ser o presidente do Brasil”.

Imprensa boa…
Em Londres, o ministro da Propaganda, Franklin Martins disse que no Brasil “a imprensa é livre, o que não quer dizer que não é boa”. Para ele, que quer “regular a mídia”, imprensa boa é a que elogia o governo.

Pensando bem…
…será que vazou da Casa Civil do Planalto a lama vermelha que se espalha pela Europa?

PODER SEM PUDOR

O ex-futuro ministro

Lula sabe lidar com a complicada Marina Silva. Ele conta que certa vez recebeu a então ministra, acompanhada de um pastor, seu mentor espiritual. Enrolada num xale, ela disse, compungida, haver recebido uma “mensagem de Deus” de que chegara a hora de sair do governo. Lula pediu que ela ficasse por uma semana, até ele encontrar o substituto. Na véspera do prazo fatal, foi lembrado do caso pelo assessor Gilberto Carvalho e, ainda sem haver escolhido um substituto, Lula mandou chamar a ministra. Ela chegou com o tal pastor a tiracolo e, é claro, enrolada num xale. Lula, que dá nó em pingo d’água, foi logo contando:
– Recebi uma mensagem de Deus. Ele apareceu, durante um sonho, ontem à noite, e me disse: “Companheiro Lula, Marina não pode sair…”
Enquanto ela se derramava em lágrimas, emocionada, o pastor balbuciou: “Sendo assim, Deus pedindo, não vejo como não atender…”
Desse modo, Lula, o sabido, “segurou” Marina no cargo por seis meses, até definir seu substituto.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation