Política nacional 16/10/2010

“É para ter firmeza, olhando cara a cara um para o outro”.

Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, desafiando Lula para um debate.

Ex-guerrilheira society perde ação de R$ 70 mi
OTribunal Superior do Trabalho negou à ex-guerrilheira Ana Cerqueira Cesar Corbisier a reintegração e R$ 70 milhões em supostos salários atrasados da Fundação Padre An-chieta (Rádio e TV Cultura), que ela abandonou há 40 anos para atuar na luta armada pela ALN, a Aliança Libertadora Nacional, de Carlos Marighela. De tradicional família paulista, ela já havia abiscoitado R$ 361,5 mil de “bolsa-ditadura” e pensão vitalícia de R$ 2,7 mil como “anistiada política”.

Clandestina
Ana participou de dois assaltos a banco e de um homicídio na ditadura. Fugiu para Cuba e viveu em Paris, de onde voltou em 1979.

Fora do prazo
A ministra-relatora Maria Cristina Peduzzi, uma das mais admiradas do país, considerou prescrito o processo que se arrasta desde 1998.

Nome de bairro
O caso desgostou a família: o tio-bisavô foi presidente da República, o bisavô, governador e nome de bairro paulistano, Cerqueira Cesar.

Ironia
O pai, Roland Corbisier, foi um conhecido jornalista, deputado federal e autor do livro “Reforma ou Revolução”, em que condena a luta armada.

Pesquisa: Serra ganhou…
Comparando-se os votos válidos no primeiro turno com a pesquisa CNT/Sensus, divulgada ontem, a maioria pró-Dilma Rousseff (PT) é de cerca de 3,1 milhões de votos. Com isso, considerando a pesquisa, ela perdeu cerca de 700 mil votos, enquanto seu adversário José Serra (PSDB), ganhou cerca de 10.6 milhões de votos. “Pelo jeito, isso não é só uma marolinha”, observa Geraldo Melo Filho, que fez os cálculos.

Aviso prévio 
O presidente dos Correios, David José de Mattos, já sabe que será demitido do cargo um dia útil após a eleição em segundo turno.

Agora é com ele
O ministro Paulo Bernardo (Planejamento) terá a tarefa coordenar o esforço para que os Correios voltem a orgulhar os brasileiros.

Metamorfose ambulante
FHC propôs um debate “cara a cara” com o futuro ex-presidente Lula. Mas antes precisará saber com qual delas o adversário se apresentará.

Obra de Santa Engrácia
Está na mira do Ministério Público Federal a demora da Receita Federal em liberar à CPI da Assembléia Paulista os dados fiscais de dirigentes e empresas da Bancoop, suspeita de desvio de recursos para o PT. A Receita descumpre, desde agosto, a decisão do Supremo.

Isolamento
O tucano José Serra evita Roriz a todo custo. Destacou o vice para a inauguração de um comitê Weslian Roriz-Serra no DF. O vice Índio da Costa “pode ser louco, mas não é burro”, diz um amigo. Não apareceu.

Baixa temperatura
O deputado Ciro Gomes (PSB-CE) rivaliza com o presidente Lula no quesito “pé-frio”. Desde que foi convidado a integrar a campanha de Dilma, ela só caiu nas pesquisas nacionais. No Nordeste também.

Festinha para o chefe
O presidente a Infraero, Murilo Barboza, fez aniversário e pressurosos assessores se cotizaram para uma festinha, a R$ 100 cada. Muitos coçaram o bolso e não saía nada. Outros achavam que o sumido Barboza já tinha assumido a chefia de uma obra de estaleiro no Rio.

Franco fora
O deputado Albano Franco (PSDB-SE), que é muito querido nos meios políticos de Brasília, não conseguiu se eleger senador. Seu adversário, o deputado Eduardo Amorim (PSC-SE) venceu com 625 mil votos.

Lula mandou mal
Tripudiar dos adversários, sobretudo os que perderam eleição, como Lula fez no Piauí, é uma das formas menos nobres de se fazer política. Identifica o por-tador de fígado ruim, que se alimenta da vingança servida em prato quente, quando a sabedoria ensina comê-lo frio.

Guerra ao plágio
A OAB vai entrar no combate a cópia ilegal e plágio de trabalhos acadêmicos nas universidades, sobretudo via internet. A proposta, apelidada de “Control C, Control V”, será examinada segunda-feira.

Ódio vencido
O deputado Felipe Maia (DEM-RN) comemora a vitória de Rosalba Ciarlini (DEM) para o governo, afirmando que os potiguares escrevem “as páginas do futuro”, não um presidente cuja popularidade só é superada “pelo elevado teor de ódio que carrega no coração”.

Pensando bem…
…pelo volume corporal, Dilma nunca mais enfrentará uma saia justa.

PODER SEM PUDOR

Prefeito crucificado

História saborosa do folclore político pernambucano relata o dia em que Aredo Soares (PDS), prefeito de Olinda nos anos 70, convidou amigos e todo o secretariado para assistir ao espetáculo da Paixão de Cristo, encenada nas escadarias das igrejas da cidade. Na cena em que o destino de Jesus passa pelas mãos de Pôncio Pilatos, ouviu-se a célebre pergunta:
– A quem queres que eu liberte: o rei dos judeus ou o ladrão Barrabás?
Um gaiato, inimigo do prefeito, gritou no meio da platéia:
– Solta os dois e prende o Aredo!

Assuntos desta notícia

Join the Conversation