Política nacional 20/10/2010

“Não foi um erro, foi safadeza, falta de respeito pelas instituições”.

Senador Sergio Guerra (PSDB) e a pesquisa Vox Populi de vitória de Dilma no 1º turno.

Sarney desiste da reeleição: ‘já dei minha cota’
Osenador José Sarney (PMDB-AP), que se recupera em Brasília, disse ontem a esta coluna que não disputará a reeleição à presidência do Senado. “Já dei a minha cota”, afirmou, com a voz ainda um pouco debilitada. Ele retornará ao trabalho nesta quarta ou amanhã “para que vejam que continuo vivo”, brincou. Sobre a arritmia que provocou seus dezoito dias de internação, Sarney admitiu: “tomei um susto danado”.

Outro do PMDB
Com a desistência de Sarney, o PMDB, como partido de maior bancada, indicará o futuro presidente do Senado. É a praxe.

Dois nomes
Entre os senadores são “candidatos naturais” à presidência dois ex-ocupantes do cargo: Garibaldi Alves (RN) e Renan Calheiros (RN).

Aécio quer
O senador eleito Aécio Neves (PSDB-MG) tentará repetir sua proeza na Câmara, quando se elegeu presidente mesmo sendo um “outside”.

Movimento
Em Brasília desde domingo, José Sarney não pára de receber amigos preocupados com sua saúde. Mas agora ele parece bem melhor.

Assessor de Erenice…
Acusado de extorquir políticos na Casa Civil do Palácio do Planalto, Vladimir Muskatirovic, chefe da gabinete da ex-ministra Erenice Guerra, não ganhou apenas a boquinha no conselho de administração da bilionária Norte Energia, que vai implantar a hidrelétrica de Belo Monte. Ele também é do conselho de Furnas Centrais Elétricas, igualmente indicado pela Casa Civil que foi chefiada por Dilma Rousseff.

A língua muda
A polêmica em Portugal é a ofensiva publicitária do chá gelado Nestea, para incluir no dicionário a palavra “Mudasti”, slogan do refrigerante.

Golaço do COI
A ex-presidente da Embratur Jeanine Pires vai cuidar da área de promoção das Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro.

Rousseff no ES
Guilherme Rousseff não é mais servidor da Polícia Federal. Ele atua na Procuradoria Geral do Estado do Espírito Santo desde maio de 2009.

Como nos anos 70
Vai sair caro o factóide encomendado por Lula à Petrobras, dia 28, às vésperas da eleição. Usará helicópteros e apoio de navios da Marinha na visita ao campo petrolífero de Tupi, em ritmo de “Pra frente, Brasil”.

Só o começo
O factóide de Lula, dia 28, tenta também ofuscar um escândalo que só começa: envolve Valter Cardeal, diretor da Eletrobrás e amigo de Dilma em suposta fraude de 157 milhões de euros em banco alemão.

À beira de um ataque
O ex-jornalista Franklin Martins, ministro da Propaganda, anda muito desanimado. É que, se Dilma perder, ele terá um ataque de nervos; se vencer também: ela deixou claro que prefere não tê-lo em seu governo.

Desfile no Tuca
O ato de juristas favoráveis a Dilma Rousseff, no Tuca (célebre teatro da PUC-SP), foi organizado para virar autêntico desfile de candidatos a ministro do Supremo Tribunal Federal, na vaga de Eros Grau.

Eu, não
Lula convidou Ciro Gomes para integrar a coordenação da campanha de Dilma, mas só o queria na tarefa de atacar José Serra. Demorou, mas a ficha caiu: Ciro não se sentiu bem no papel.

Paulistas bestas
A frase publicada no Blog da Dilma foi retirada do ar, mas o jornalista Carlos Brickman a capturou. Era uma referência ao rival José Serra: “Zé Pedágio pensa que os nordestinos são ‘bestas’ como os paulistas”.

Dois séculos
Segunda (25), a partir das 18h, a Associação dos Antigos Alunos da Faculdade de Direito da USP promoverá o lançamento do livro “Dois séculos de Justiça”, de Flávio Bierrenbach, ministro aposentado do Superior Tribunal Militar e ilustre ex-aluno do Largo de São Francisco.

Milton Pitonisa
O jornalista Milton Neves acertou na mosca, ontem, quando previu o placar de 2×0 no jogaço Real Madri x Milan. Foi ele quem criou palpites sobre resultados de jogos importantes, na rádio BandNews FM.

Herança maldita
Eleição vai, eleição vem, e Lula e FHC se enfrentam de novo.

PODER SEM PUDOR

O jovem candidato

Em 1974, plena ditadura, quando o MDB mineiro decidiu lançar como candidato ao Senado o desconhecido prefeito de Juiz de Fora, Itamar Franco, a maior raposa do partido, deputado Tancredo Neves, foi à cidade conhecê-lo melhor, acompanhando-o em uma viagem de campanha. A certa altura, quando a comitiva passava junto a um quartel do Exército, Itamar disparou:
– Deputado, o senhor tem visitado muito os quartéis?
Tancredo sentiu a estocada, mas em segundos se recuperou com uma resposta que lembraria durante anos:
– Tenho sim, meu filho. Tenho ido aos quartéis para visitar os presos políticos, jamais para cortejar os generais.
Itamar passou o resto da viagem em silêncio.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation