Política nacional 28/10/2010

“É importante que nas campanhas políticas a gente utilize capacete”.

Presidente Lula ironizando o atentado a bolinha de papel e rolo de durex contra Serra.

Na queda de braço com ministro, Lula apóia PF
Trechos ainda inéditos de conversas gravadas, nas quais se baseou a reportagem da revista Veja desta semana, revelam as complicadas (ou inexistentes) relações do ministro Luiz Paulo Barreto (Justiça) com seu subordinado Luiz Fernando Correia, diretor-geral da Polícia Federal. Após sua posse, Barreto tentou afastar Correia na PF, mas Lula não aceitou. Apesar da relação funcional, os dois nem sequer despacham.

Fotos misteriosas
Em uma das conversas, o ministro da Justiça diz que a PF teria em seu poder, inclusive, “fotos comprometedoras” do presidente Lula.

Aniversário
Lula mudou para “56” as velas das três tortas que ganhou, ontem, pelo seu aniversário. Completou 65 anos, mas com corpinho de 51.

Óleo de tolo
Demorou: a Petrobras anunciou ontem nova reserva gigante em águas profundas da bacia Sergipe-Alagoas. É o poço de “máguas” da Erenice.

Causa mortis
O célebre polvo Paul morreu de enfarte na Alemanha. Não suportou a pressão de adivinhar que Dilma vai ganhar a eleição no domingo.

Cartaz do TSE
Nova polêmica anima as discussões políticas em Brasília: o cartaz do próprio Tribunal Superior Eleitoral, afixado nas seções de votação já no primeiro turno, mostrando uma modelo cujo sorriso é muito semelhante ao de Dilma Rousseff quando jovem. A premiada Fields Comunicação, que fez o cartaz (com a inscrição “Para torcer, tem que saber as regras”), nega a semelhança, a “propaganda subliminar” e garante que não é montagem: a modelo existe mesmo e se chama Marília Lopes.

Rico é outra coisa
Vários países mandaram remédios e assistência médica. O Brasil sacou o talão de cheques e deu US$ 2 milhões para o Haiti

Milagres
Com Deus na moda, candidatos pode rezar hoje, dia de São Judas Tadeu, o das causas impossíveis. Até para cumprir o que prometem.  

Musa gay
A associação de gays e afins (ABGLT) apóia Dilma, “que já fez muito pela comunidade e sentiu na campanha a crueldade do machismo”.

Evitando saia justa
Lula não foi ao velório de Romeu Tuma para não enfrentar sua família, que o responsabiliza pela perseguição a Romeu Tuma Jr, ex-secretário Na-cional de Justiça. O episódio afetou a saúde do senador do PTB-SP.

Sindicato da perícia
A Associação dos Peritos Criminais Federais descredenciou o laudo, “sem exame pericial”, das “imagens de mídia” (leia-se Rede Globo), sobre o objeto lançado no tucano José Serra. Molina não é da APCF.

Dedicação total
Torcedores atribuem a má fase do Brasiliense, a caminho da Série C, à dedicação do seu presidente, ex-senador Luiz Estevão, à candidatura de Weslian Roriz ao do DF governo. Até dinheiro de  patrocínio seria drenado para a campanha. O banco BRB é um dos patrocinadores.

Feio é perder
Fernando Tolentino, diretor da aparelhada Imprensa Nacional, reuniu-se segunda-feira em um bar de Brasília, com servidores, a maioria de cargos DAS, engajados na campanha do PT. Ele diz que foi convidado.

Quanto vale?
O governo do Afeganistão protestou pelo 2º lugar mais corrupto do mundo, segundo a ONG Transparência Internacio-nal. Em 9º no continente, o Brasil se lixou pelo 3,7. Subir ia custar uma nota.

Amigo da onça
Dilma disse que Néstor Kirchner “foi amigo do Brasil”. Não é verdade. Para fazer média e achar um culpado externo pelos próprios erros, ele perseguiu exportadores brasileiros e quase sepultou o Mercosul.

Muro verde
Entrevistada pela revista italiana Panorama, Marina Silva (PV) manteve secreto o voto no segundo turno, mas garantiu que “muitos verdes votarão em Dilma, a quem respeito e por quem tenho amizade”. Hum…

Guerra virtual
Hackers tiraram do ar todos os sites do PSDB, DEM e PPS ontem, por volta das 16h30, quando a hashtag # BR45IL ficou em primeiro lugar nos trends topics (os assuntos mais comentados do Twitter).

Pensando bem…
…Ficha Limpa: você ainda vai votar em um.

PODER SEM PUDOR

Flagrante no sábado

Antônio Carlos Magalhães fazia campanha para presidir o Senado, em dezembro de 1996, quando telefonou a Esperidião Amin num sábado (21), aniversário do catarinense. A ligação caiu no Banco do Estado de Santa Catarina, cujo número era idêntico ao do escritório do célebre careca. ACM achou estranho fun-cionários públicos trabalhando num sábado, por isso não perdeu a chance da ironia, antes de desligar:
– Mas o que vocês estão fazendo aí, hoje? Coisa boa é que não deve ser!

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation