Agora, cobrar

Em visita ao Estado, anteontem, o ministro das Minas e Energia, Márcio Zimmermann, deu garantias que os problemas mais agudos do setor que o Acre vêm amargando, como os constantes ‘apagões’, serão resolvidos. Cabe agora ao Governo, à classe política cobrar as medidas anunciadas.

Entre as medidas, o ministro apontou a principal delas, mas que já se conhecia: a construção do segundo ‘linhão’ do Sistema Interligado Nacional. Porém, como se trata de uma obra nem começada, o ministro prometeu que serão postas em funcionamento duas usinas termelétricas na Capital, para serem acionadas em caso de necessidade.

É esta providência que o Governo do Estado e a bancada federal, de modo especial, precisam cobrar e cobrar já, com veemência. Primeiro, porque foi um erro a desativação dessas usinas. Segundo, porque sem elas, a Capital e municípios próximos ficam à mercê de qualquer problema que ocorra na atual linha de transmissão. Um raio, uma árvore, um animal qualquer que caia na fiação.

O fato é que a população, de modo geral, não agüenta mais tanta insegurança no setor e quem sabe este pode ter sido um dos fatores que explicam os últimos resultados das urnas. 

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation