Acre reduz em 65% taxa de desmatamento; Amazônia chega ao mesmo patamar

O Acre conseguiu reduzir em 65% sua taxa de desmatamento em agosto deste ano, quando comparado com o mesmo mês de 2009. É o que mostra a mais recente análise do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). Enquanto que em agosto do ano passada o desmatamento detectado chegou a 6,36 km2, em 2010 os satélites registram uma área devastada de 2,2 km2.

Essa mesma queda foi observada em toda a Amazônia. O desmatamento no oitavo mês de 2010 foi de 265,1%. Em agosto do ano passado, a área devastada foi de 485,1 km2; uma queda de 47%. O Pará continuou a liderar o ranking dos Estados que mais contribuíram para a destruição da floresta nativa, com 134,2 km2.

Apesar disso, o Estado conseguiu diminuir sua taxa quando comparada com o ano passado; a redução foi de 55%. 

Na sequência entre os Estados que mais derrubaram em agosto aparece o Mato Grosso (54,4 km2), Amazonas (26,4 km2), Rondônia (25,2 km2) e Maranhão (16,9 km2). Segundo o Inpe, fatores como a presença de nuvens sobre a região em agosto não permitem fazer uma análise precisa do desmatamento, nem fazer comparação com anos e meses anteriores.

De acordo com o instituto, a presença de nuvens no mês chegou a 17%. O desmatamento detectado pelo Inpe ficou acima do Imazon (Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia). As imagens do instituto registraram uma devastação, também em agosto, de 210 km2. Essa variação ocorre justamente por conta da cobertura de nuvens.

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation