Assentados da Alcoobras querem ajuda para reverter prejuízos provocados por temporal

As famílias do Assentamento Alcoobras e de dois outros projetos sob a responsabilidade do Instituto Na-cional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), localizados na BR-317, município de Capixaba, estão pedindo socorro para reverter os prejuízos decorrentes de um temporal que devassou a região no último dia do mês de setembro.

Estima-se que cerca de cinco mil famílias estejam assentadas nos três projetos. José Oscar mora na localidade há mais de 10 anos e afirma nunca ter presenciado tamanha destruição. Segundo ele, a tempestade veio acompanhada de chuva de granizo, destruindo tudo o que encontrava pela frente.

Plantações inteiras de legumes, frutas e hortaliças estão comprometidas. Árvores foram arrancadas pela raiz e muitas casas ficaram sem cobertura. José Oscar estava com a família no momento da ocorrência e revela nunca ter visto algo tão assustador.

“Era por volta de cinco horas da tarde quando começou. Fiquei 45 minutos agarrado a uma coluna da casa sem saber o que fazer. O desespero foi geral”, narra. Em nome da comunidade, ela pede que o Incra e a Coordenação Estadual de Defesa Civil encaminhem seus técnicos para fazer um levantamento da região.

Ele informa que até segunda-feira (5) ninguém tinha comparecido ao local para verificar a situação dos produtores. “Estamos realmente pedindo socorro, do jeito que está não pode ficar”, diz, acrescentando que as famílias do Ramal do Barriga são as maiores prejudicadas.

José Oscar esteve em Rio Branco na última sexta-feira (1º) para comunicar às autoridades do acontecimento, mas em virtude dos preparativos para as eleições acabou não encontrando ninguém para pedir ajuda, exceto alguns veículos de comunicação a quem recorreu. Ele espera que a partir do seu pedido de ajuda providências sejam adotadas.

Tempestades da mesma intensidade foram registradas em outros municípios acreanos durante os meses de agosto e setembro. No Bujari, a chuva também veio acompanhada de chuva de granizo. Também foram afetadas pelo mesmo fenômeno Epitaciolândia, Brasiléia, Ma-noel Urbano e Xapuri.

 

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation