Binho entrega obras do prédio da Secretaria de Agricultura e Pecuária

Corria o ano de 1947 quando Adolfo Barbosa Leite, então prefeito de Rio Branco, convidou o técnico agrícola Raimundo Wilson Bastos Sales, que morava em Fortaleza, para tocar a central de produção de aves e pequenos animais que estava sendo instalada na Capital. Nascido em Itapagé, a cerca de 130 quilômetros da capital cearense, Raimundo aceitou o convite, deixou a mulher com dois filhos em Fortaleza e partiu para uma longa viagem desde o Nordeste até o Acre.
Binho1610
Devido ao intenso trabalho na consolidação da unidade que criava principalmente aves, abelha e porcos, e regularmente – e de modo pioneiro no Acre – realiza inspeção da carne de origem animal, Raimundo recebeu o apelido de Wilson do Aviário, o que potencializou batizar a região da central de bairro do Aviário. Wilson morreu em 1975 e em 1983 o prédio onde trabalhou por décadas recebeu seu nome, numa justa homenagem ao desenvolvimento de técnicas e ao fomento à produção rural personalizada no trabalho do cearense. Wilson do Aviário foi mais uma vez lembrado ontem, 15, na entrega da reforma do prédio da Secretaria de Agricultura e Pecuária (Seap) quando seis de seus filhos participaram da cerimônia que consolidou o endereço do sistema de produção sustentável do Acre – e no mesmo prédio onde o pioneiro dedicou grande esforço para garantir o avanço do empreendimento. 27 anos depois de sua reinauguração pelo governador Romildo Magalhães, o prédio Raimundo Wilson Bastos Sales recebeu nova visita de um governador. “Não é inauguração, mas o endereço de um sistema que se relaciona com outras instituições”, disse o governador.

 Esse sistema inclui organismos de afinidade direta, como o Instituto de Defesa Agroflorestal (Idaf), que coordena a política de sanidade animal e vegetal; e indireta, como o Instituto de Terras do Acre (Iteracre), que trata da regularização fundiária, além de parceiros como a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) que produz as tecnologias difundidas pelo Estado – entre muitos outros.

O sistema possui como âncora o Zoneamento Ecológico-Econômico (ZEE), que apontou as regiões de poten-cial produção agropecuária. Como resultado, no governo Binho Marques criou-se a Zona Especial de Desenvolvimento (ZED) que se afirmou com a Política de Valorização do Ativo Ambiental Florestal ao integrar a produção primária e terciária, promovendo a produção familiar e a de larga escala, recuperando áreas degradadas e evitando, por instrumentos inovadores, a pressão sobre a floresta.

O prédio da Seap revitalizado e ampliado é o reflexo do sistema que alcança resultados expressivos. Antes da Seap, abrigou a Secretaria de Desenvolvimento Agrário (Das), viveu situação de abandono e foi soerguido como parte da política que se consolida: “são processos complementares que estão se constituindo”, disse o secretário de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar, Nilton Cosson. Assim, o Governo do Acre encerra 2010 confirmando resultados que tiraram a agricultura e a pecuária do atraso imposto pela falta de atenção e investimentos nos quinze anos anteriores a 1998 – e um dos dados que mais refletem a operacionalidade do sistema é que nos últimos anos, de acordo com Judson Valentim, pesquisador-chefe da Embrapa, o valor bruto da produção cresceu 183% entre 1998 e 2008 (último ano com informações produzidas pelo IBGE), saindo de R$ 88 milhões para R$ 250 milhões no período. Além disso, o rebanho bovino saiu das 907 mil cabeças para 2,5 milhões de reses. “O Acre não produz nada? É o contrário: produz e bem”, resumiu Judson Valentim. “Só tenho a agradecer em ver o Estado crescendo e ter meu pai como semente”, agradeceu Wilson José, filho mais novo do pioneiro Wilson do Aviário.

Homenagem aos trabalhadores que ajudam a construir a produção sustentável no Acre
As obras do prédio Raimundo Wilson Bastos Sales, que custaram R$ 1.868.878,46 e foram realizadas com recursos próprios do Tesouro Estadual, contemplaram adequação de todos os espaços com a conseqüente criação de salões de atendimento ao produtor, troca da pavimentação interna, cobertura e forro, alterações nas redes hidráulica e elétrica, estacionamento com gradis metálicos e instalação de brises metálicos decorativos nas fachadas. “Acabamos com as paredes.

A integração começa com o trabalho dos técnicos, todos juntos no mesmo espaço”, lembrou o secretário Mauro Ribeiro, titular da Seap. Estiveram presentes os secretários Eufran Amaral, do Meio Ambiente; Fábio Vaz (Governo), Carlos Resende (Florestas), Eduardo Vieira (Obras Públicas) e Aníbal Diniz (Comunicação), e o vice-presidente da Federação da Agricultura do Estado do Acre (Faeac), Luiz Saraiva, além de deputados eleitos, o prefeito de Xapuri, Bira Vasconcelos, representantes de instituições bancárias e várias outras autoridades. Servidores e visitantes lotaram o auditório para assistir a cerimônia. (Agência Acre)

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation