Binho Marques fala de produção agrícola no Dois Dedos de Prosa

dedo_de_prosa_segunda

Produção agrícola é o tema do Programa Dois Dedos de Prosa desta segunda-feira. Durante a entrevista veiculada nas principais rádios do Acre, o governador Binho Marques falou dos avanços e desafios para a consolidação de culturas permanentes no estado. Ao ser questionado pelo ouvinte, que a partir do novo formato do Programa pode interagir com o governador, sobre a auto-suficiência em agricultura, Binho destacou que cada estado investe naquilo que é sua habilidade e que tem competência.
“Eu devo dizer que nenhum estado brasileiro é auto-suficiente em agricultura, em tudo. O que acontece é que os estados descobrem aquilo que é a sua habilidade, sua competência e faz muito bem feito para poder consumir e vender para a exportação, e com isso com, ele pode comprar o que necessita. É isso o que nós estamos fazendo aqui no Acre e com muito sucesso. Nós tínhamos uma produção agrícola de 61 mil toneladas e hoje estamos com 108 mil toneladas. Isso porque investimos naquilo que o Acre tinha mais aptidão. Não perdemos tempo com aquilo que os outros estados podem produzir muito mais e mais barato ”.

O governador citou como exemplo de cadeia produtiva que vem apresentando resultados positivos, a polpa de frutas. Os investimentos vão desde a produção ao beneficiamento do produto em cinco indústrias de destaque, que abastecem a capital Rio Branco e exportam para Rondônia. Outro exemplo exitoso citado por Binho Marques durante o Dois Dedos de Prosa foi em relação ao cultivo de folhosas, como alface, rúcula, e cheiro verde. Estes produtos não precisam mais ser importados de outras localidades. Por outro lado, admitiu que o Estado ainda não tem tecnologia para que a produção de tomate, cenoura e beterraba, por exemplo, seja competitiva.

A produção de grãos também foi assunto de destaque entre as perguntas feitas ao governador. O empresário Denis quis saber o que pode ser feito para aumentar a produção de grãos no Acre. Binho respondeu que o caminho é a mecanização, e que o governo tem investido nesta alternativa. Através de parcerias estabelecidas com o governo Federal, foram viabilizadas formas para que os produtores recebessem mais assistência técnica, maior acesso ao crédito, e assim mais áreas mecanizadas.

Em quatro anos, os produtores adquiriram 200 tratores, mecanizaram mais de 20 mil hectares. A produção de milho que era de 33 mil toneladas, agora é de 61 mil toneladas. “Uma coisa acertada que aconteceu foi investir muito na mecanização para a produção de milho. Eu acho que a gente deve continuar nesse caminho para de fato aumentar a nossa produtividade e reduzir os preços”.

Binho completou com mais um exemplo. “Outro grande investimento que nós fizemos foi no feijão. Pouca gente sabe, mas 53% do feijão que nós consumimos é acreano. O feijão que a gente compra no supermercado, Tia Eliza, é produzido todo aqui no Acre. Agora o arroz já é diferente, é muito mais difícil. Nós precisamos aguardar ainda os avanços das pesquisas da Embrapa para possamos produzir arroz aqui em grande quantidade e com uma alta produtividade”, concluiu.(Agência Acre)

Assuntos desta notícia

Join the Conversation