Juíza Denise recebe denúncia de roubo contra Jeferson e Andriola

A titular da 2ª Vara Criminal da Comarca de Rio Branco, Denise Castelo Bonfim, recebeu a denúncia de roubo qualificado contra Jeferson Teixeira de Andrade e Gleisson da Silva Andriola. A ação penal foi proposta pelo Ministério Público Estadual (MPE), tendo como base inquérito policial da Delegacia Antiassalto da Polícia Civil.

Na mesma decisão, a pedido do MPE a magistrada decretou às prisões preventivas dos acusados, mantendo desta forma o aprisionamento dos réus. Eles estão recolhidos ao presídio estadual desde julho deste ano, quando promoveram um ‘festival de sangue’ na Capital.

Na Vara do Tribunal do Júri da Capital, a dupla responde pelos crimes de homicídio, tentativa de homicídio e roubo qualificado. Uma das vítimas era a assessora parlamentar Ana Eunice Fontoura, 52 anos, assassinada a facadas dentro da própria casa, depois de uma tentativa frustrada de resgate.

O processo que tramita na 2ª Vara Criminal refere-se ao assalto ao vigilante Juranilson de Oliveira Kagy, 35 anos, ocorrido na Oca do Parque da Maternidade 48h antes do assassinato de Ana. Em depoimento prestado à polícia, o vigilante revela que Jeferson e Andriola, após imobilizá-lo e roubarem sua arma, deixaram o local da ocorrência a pé.

Juranilson informou também que o fato foi imediatamente comunicado ao Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp). Mas que, além de ser destratado pela atendente, foi avisado de que as ocorrências de assalto deveriam ser informadas diretamente à delegacia especializada. A omissão pode ter favorecido a fuga dos bandidos.

De acordo com a vítima, o assalto ocorreu às 22h30. Uma viatura da Polícia Militar só chegou ao local por volta de 40 minutos depois, oportunidade em que os bandidos já tinham fugido. “Eles estavam a pé. Se a polícia tivesse atendido a minha chamada, teria dado tempo de prendê-los em flagrante”, observa o vigia.

A arma roubada de Juranilson é um revólver calibre 38, marca Taurus, e estava municiada com seus projéteis. Existe a possibilidade, inclusive, de ela ter sido utilizada no atentado contra o comerciante Kender Conceição, baleado com seis tiros, na mesma noite em que Ana foi morta.

A partir do recebimento da denúncia pela juíza Denise Bonfim, os acusados têm 10 dias para responder a acusação. Caso não constituam advogado nos autos, serão nomeados defensores públicos para patrocinarem suas defesas.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation