Tião Viana e Angelim discutem estratégias de combate à dengue

O prefeito Raimundo Angelim e o governador eleito Tião Viana se reuniram ontem pela manhã, 15, no auditório do Tribunal de Contas do Estado (TCE) com a secretária municipal de Saúde em exercício, Adriana Evangelista; com o diretor do Departamento de Vigilância Epidemiológica, Janilson Leite Lopes e com os agentes de endemias do município. O objetivo da reunião é coletar informações para estabelecer um plano estratégico para o enfrentamento da dengue na Capital.
Tiao-dengue1610
Segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), 58% dos locais de reprodução do aedes aegypti são caixas d’água e cisternas; 16% entulhos acumulados nos terrenos; 16% em pequenos depósitos de água como vasos de plantas; 5% são pneus; 4% depósitos fixos de água como lajes e calhas e 1% são depósitos naturais.

“Um elo importante para combater a dengue é a participação das pessoas. Não podemos simplesmente dizer que o mosquito é frágil, porque ele é um inseto com uma capacidade de se adaptar ao nosso meio e se manter vivo com muita facilidade. A ação central para vencer a dengue é evitar a reprodução desse mosquito no ambiente doméstico”, explicou o prefeito Raimundo Angelim.

Ele revelou que a prefeitura vem realizando três ações importantes. A primeira é a coleta de dados, para saber onde o mosquito está se reproduzindo com mais frequência. Depois vem as ações de combate à reprodução e o tratamento aos pacientes com dengue.

Para Angelim medidas simples, mas importantes como fechar os recipientes onde a água fica acumulada e manter os terrenos limpos, são fundamentais para combater a dengue na Capital.

“Só combateremos a dengue com eficiência quando impedirmos a reprodução. Nossas equipes estão nas ruas, mas precisamos do apoio da população, caso contrário, essas ações serão em vão”, pontuou Angelim.

Nesse sentido, a Prefeitura de Rio Branco busca intensificar as ações de combate ao mosquito transmissor da dengue. Para isso o trabalho é desenvolvido sobre três eixos. O primeiro envolve os agentes de endemias, os agentes comunitários de saúde e todo o aparato da Secretaria Municipal de Saúde.

O segundo eixo procura articular a Secretaria Municipal de Cidadania e Assistência Social (Semcas), a Empresa Municipal de Urbanização (Emurb), a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur), a Secretaria Estadual de Saúde e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semeia) para o desenvolvimento de ações de combate a doença. O terceiro ponto abrange a campanha de mídia, com cartazes, vídeos e spots para divulgação nas rádios e emissoras de televisão.

Decreto – O prefeito Raimundo Angelim assinou ontem à tarde, 15, decreto municipal que define os procedimentos a serem tomados para adoção de medidas de vigilância sanitária e epidemiológica, voltadas ao controle de doenças e agravos que representem risco à Saúde Pública.

Trata-se, na prática, de um ordenamento de todos os instrumentos jurídicos previstos na legislação em vigor no país, para garantir um controle mais eficaz em casos de epidemias e faz parte da evolução do processo de combate à dengue no município, permitindo, desta forma, acesso a 100% dos imóveis da Capital. (Ascom PMRB)

Assuntos desta notícia

Join the Conversation