Tio suplica à acusados que revelem paradeiro do corpo de Fabrício

Audiência de instrução e julgamento do caso prossegue nesta segunda

tiosuplica
Sérgio Lopes ainda tem esperança que os acusados revelem o paradeiro do corpo de Fabricío

 Faltando dois dias para o reinício da audiência de instrução, debates e julgamento do processo que apura o seqüestro, seguido de morte, de Fabrício Augusto, 16 anos, o tio da vítima, Sérgio Lopes, suplica aos acusados que revelem o paradeiro do corpo do adolescente. “Nós temos esperança que na presença do juiz, um homem justo e temente a Deus, eles vão contar tudo que não disseram à polícia”, aposta Sérgio.

A família pede o apoio da sociedade e convoca familiares de outras vitimas da violência a compareceram a um ato pacífico que será realizado, nesta segunda-feira (18), a partir das 8h da manhã, na frente do Fórum Criminal, na Avenida Getúlio Vargas, Bosque, onde funciona a 4ª Vara Criminal. Na oportunidade terá seqüência a audiência iniciada  no dia 1º de outubro, cujo andamento ocorreu na Vara do Tribunal do Júri, no centro.

Fabrício está desaparecido desde o dia 16 de março desse ano. Desde então a família vive o drama de não poder dar sepultamento digno ao adolescente, haja vista que apesar de existirem depoimentos confirmando a sua morte, até hoje não foi revelado o local exato da ocultação do cadáver. Todas as pistas repassadas à polícia nesse sentido restaram infrutíferas.

Sérgio acredita que na presença do juiz, existe uma chance de os acusados revelaram o que sabe. “Nós concordamos plenamente com a proposta de delação premiada que será formalizada pelo Ministério Público ao final da instrução, não adiante nada condenar os réus e não sabe onde está o corpo de Fabrício”, diz entristecido.

Na primeira audiência realizada no início do mês, Sérgio prestou depoimento como testemunha da acusação. Durante sua fala ele teve a oportunidade de revelar ao juiz o trabalho paralelo que foi realizado pela família, na tentativa de localizar o garoto ainda com vida. “Foram momentos de muita dor e tristeza”, lembra.

Com base em inquérito policial, seis pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público Estadual (MPE) pelos crimes de extorsão mediante seqüestro, seguido de morte, bem como destruição, subtração ou ocultação de cadáver e corrupção de menor. As menores que teriam tido participação responde a denúncia perante o juizado da Infância e da Juventude.

Na segunda-feira, uma delas será ouvida como testemunha de defesa dos acusados. Também deve ocorrer a acareação entre a menor testemunha de defesa e duas outras que teriam dado versões diferentes acerca do ocorrido, chegando a indicar, inclusive, locais de supostos cativeiros. Por último serão ouvidos os seis acusados.

 “Todos aqueles que querem dar um basta na violência que está ceifando a vida de pessoas inocentes venham se juntar a nós na frente do Fórum Criminal nesta segunda-feira”, convoca.

 

 

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation