Datafolha: Lula é aprovado por 83% dos entrevistados

lula6
Em campanha intensa em favor de sua indicada à Presidência da República, o presidente Lula tem percorrido o país em busca de votos para a petista Dilma Rousseff. A disposição de Lula na corrida eleitoral, diz o instituto Datafolha, pode ter não só contribuído para Dilma manter 12 pontos percentuais de vantagem sobre Serra, mas também para elevar a aceitação popular do próprio presidente: 83% dos entrevistados aprovam seu governo, considerando-o ótimo ou bom.

De acordo com os números divulgados hoje (terça, 26) pelo Datafolha, este é o terceiro levantamento consecutivo que registra crescimento da aceitação popular sobre o governo Lula. Trata-se do percentual mais elevado obtido por Lula desde o início da série histórica de pesquisas do instituto. Na última semana, a aceitação do governo Lula era de 82% dos entrevistados. A nota média atribuída ao governo é a mesma do levantamento anterior – 8,2 em escala de 0 a 10.

No levantamento apresentado hoje, o índice de entrevistados que consideram o governo Lula irregular caiu de 14% para 13%. O índice de reprovação absoluta – quem avalia a gestão como ruim ou péssima – se manteve em 3% das pessoas consultadas.

A pesquisa Datafolha registra ainda números sobre a gestão Lula com referência aos envolvidos na corrida presidencial. A maioria (67%) dos eleitores que dizem preferir José Serra a Dilma consideram ótimo ou bom o governo petista. Já os que declararam voto na candidata e aprovam o governo chegam à quase totalidade, com o índice de 96%. Já entre os “marineiros” – ou seja, quem votou em Marina Silva (PV) no primeiro turno –, 80% avaliaram como ótimo ou bom o comando lulista.

Encomendada pela TV Globo e pelo jornal Folha de S.Paulo, a pesquisa tem margem de erro de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Os pesquisadores entrevistaram 4.066 pessoas de 246 municípios, de todos os estados. Os resultados estão protocolados no Tribunal Superior Eleitoral com o número 37.404/2010.  (Congresso em foco)

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation