Flaviano Melo avalia novo quadro político

Ainda comemorando a sua estupenda votação para reeleição a deputado federal com 36.301 votos, Flaviano Melo (PMDB) fez uma leitura do resultado das eleições no Estado. “Ficou claro a fadiga que o povo está com a FPA. Se olhar a campanha franciscana que o Bocalom (PSDB) fez não dá para acreditar nesse resultado. O povo foi para a rua caladinho e construiu esse resultado. Em Rio Branco Bocalom ganhou. Nos lugares onde a comunicação é mais difícil a FPA conseguiu ganhar. Os prefeitos do PMDB não foram bem na ajuda ao Bocalom e o de Feijó foi péssimo. Mas as oposições conseguiram  um grande resultado”, salientou.


Vitória da FPA no Juruá

Indagado sobre a vitória da FPA no Juruá, reduto tradicio-nalmente oposicionista, Fla-viano argumentou: “a falta da presença do Bocalom na região do Juruá atrapalhou. O Petecão (PMN) trabalhou na região e teve uma belíssima votação, ganhando do Edvaldo Magalhães (PCdoB) na sua própria terra. O Bocalom não nos ouviu e abandonou o Juruá. Se o PMDB tem o comando político da região ele deveria ter ido conosco para lá”, afirmou.

O fator Rodrigo Pinto
Outra questão foi a presença de Rodrigo Pinto(PMDB) como candidato majoritário. “Se o Rodrigo Pinto tivesse na disputa com certeza teríamos um segundo turno. Mesmo se fosse um candidato um pouquinho melhor do que o Tijolinho (PRTB) nós teríamos tido um segundo turno. Mas não se pode chorar pelo leite derramado. A oposição agora deve ter criado juízo para saber que a forma de se ganhar eleição no Acre é se unir”, disse ele.

Bancada de oposição
Quanto à postura que a oposição deve ter depois dos resultados eleitorais, Flaviano Melo, acha que deverá agir de maneira consciente. “Os passos da oposição é continuar fazendo política sem ser raivosa. Tem que ser político de oposição com inteligência. Nunca fui raivoso e nem fiquei na televisão e nos meios de comunicação ofendendo ninguém e mais que dobrei a minha votação. A oposição tem que ser consciente na hora certa apontar os erros dos adversários. Por exemplo, o meu projeto do Referendo do Fuso Horário não foi bem aproveitado pelo nosso candidato a governador”, destacou.

Flaviano já está envolvido na campanha do Referendo. “Vou estar junto com o não do 77 e fazendo a campanha do José Serra (PSDB) que já ganhou no primeiro turno no Acre e deverá repetir a tendência no segundo turno. Também acho que no Brasil ele poderá ganhar porque a Dilma tinha tudo para ganhar no primeiro e o povo não quis. Claro que a Marina teve um papel importantíssimo, mas os votos dela vão migrar para o Serra”, previu.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation