Política local 08/04/2011

“Quando tiver que pegar uma cobra use a mão do seu inimigo”.

(Ditado persa)

Caiu na estrada
O telefone toca. Do outro lado, o deputado federal Gladson Cameli (PP), com um pedido que, só confirmou, o que a coluna deu em primeira mão: “estou lhe ligando antecipadamente para pedir seu voto para senador”. Gladson, definitivamente, caiu na estrada rumo ao Senado.

PT primeiro
“Conosco primeiro é o PT, igreja vem em segundo lugar”. Com a afirmação o assessor petista Nepomuceno Carioca botou o vereador Jairo Carvalho (PT-Plácido de Castro) fora do partido.

Salmo vetado
Jairo votou na deputada federal Antonia Lucia (PSC), sob argumento de ser evangélico.

Meta final
Assessor do “projeto de missionária” afirmava ontem ser sua meta ter cinco vereadores de Plácido de Castro nas mãos para cassar o prefeito Paulinho Almeida (PT).

Chapa quente
A chapa vai esquentar na reunião de hoje à noite do Rio Branco Futebol Clube. O conselheiro Getúlio Pinheiro quer tirar o presidente Natal Xavier sem lhe dar o direito de defesa.

Aguardar a conclusão
Num bom artigo publicado ontem o ex-deputado federal Osmir Lima faz um balanço dos primeiros 100 dias do governo Tião Viana. Enumera medidas importantes de impacto futuro.

Mais importante
O caminho que vejo como mais importante entre os citados é o da industrialização.

Dá, lhe João!
O ex-deputado federal João Correia (PMDB) teve uma vitória no PMDB ao ter seu projeto de candidatura própria à PMRB apoiado por unanimidade pela executiva do partido.

Choro livre
Mesmo ante o ranger de dentes e lágrimas copiosas dos “bittaristas” Serjão e Pádua.

Mordeu a isca
Entendo a boa intenção do presidente do Sinjac, Marcus Vicenti, mas errou ao aceitar uma parceria com a PM de um curso em “operações espe-ciais” para jornalistas.

Manobra sutil
Foi uma manobra sutil do coronel PM Paulo César para convalidar seu ato de cercear o trabalho da imprensa durante o despejo do Conjunto Ilson Ribeiro.

Canto de Oxóssi
Uma babalorixá quase deixou a bancada evangélica na Aleac louca ao entoar durante a sessão solene de ontem o ponto de umbanda de “Canto de Oxóssi”.

Acabar com isso
Uma sugestão à mesa diretora da Aleac: não fazer mais sessão solene nos dias das sessões ordinárias porque acaba com a essência do parlamento, que é o debate político.

Fora da disputa
O deputado Wherles Rocha (PSDB) na busca de um nome de consenso para a presidência do diretório municipal do PSDB retirou sua candidatura, mas o impasse permanece.

Nome vetado
Benício Dias, que tinha a simpatia de Tião Bocalom (PSDB), teve seu nome vetado pelo deputado federal Márcio Bittar (PSDB) e o impasse está  longe de ser contornado.

Sonhando acordado
A oposição sonha com duas cassações, do senador Aníbal Diniz (PT) e do governador Tião Viana. Nos dois casos está sonhando acordada e apostando no imponderável.

Operação asfalto
O prefeito de Cruzeiro do Sul, Wagner Sales (PMDB), já está com o asfalto em estoque para começar a operação de asfaltamento da cidade, para o desgosto dos seus adversários.

Apostando errado
Quem apostava que o Wagner chegaria queimado para a disputa da reeleição apostou errado.

Áulico do PT
Quem chega amanhã na Capital é o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, que trabalha para juntar no PSD, traidores de todos os partidos, com objetivo de bajular o PT, em Brasília.

Figura fisiológica
O PSD do Kassab tem duas metas: lutar para incluir na reforma política uma janela para permitir o troca-troca de partidos e servir de bengala do PT da Dilma.

Lugar certo
E assim sendo, o senador Sérgio Petecão está se filiando no partido certo aos seus interesses.

Partido dos fisiologistas
Enquanto houver brechas jurídicas, como essa da formação do PSD, a política brasileira continuará no fundo do poço e os políticos, na sua quase maioria, completamente sem credibilidade. O PSD nasce sob a síndrome da traição. A manobra do prefeito Gilberto Kassab é um retrato fiel do fisiologismo. Um partido que nasce para servir e bajular ao PT. Tão somente. 

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation