Política local 14/04/2011

“As pegadas na areia do tempo não são deixadas por quem está sentado”.

(Ditado bérbere)

Carioca, o terrível!
O deputado Chico Viga (PT) revelou ontem ao colega Gilberto Diniz (PTdoB) que foi o tratamento desrespeitoso recebido do assessor petista, Carioca, a causa principal de sua decisão de deixar o PT e ir para o PSD. Era sempre tratado com desdém nas reivindicações.

Sem cara
Segundo Diniz, Viga lhe revelou que, ao contrário de outros deputados do PT, não tinha direito à cota de cargos destinados à bancada petista, sob o argumento de não ter a cara do PT.

Nome e sobrenome
O deputado Wherles Rocha (PSDB) revelou ontem à coluna o nome e sobrenome do seu candidato à PMRB: “se depender de mim é o Tião Bocalom”.

Cuspindo no prato
O deputado Astério Moreira (PRP) voltou a ter ontem postura independente na Aleac ao dizer que o PT, ao ser pelo fim dos pequenos partidos, no Acre, cospe no prato que comeu.

Ditadura
Moreira diz que essa é uma postura de quem quer instalar a ditadura dos grandes partidos.

Volta dos coronéis
Na sua visão, a chamada “lista fechada” defendida pelo PT é a volta do coronelismo político.

Mesma visão
O governador Tião Viana também já se manifestou contra a “lista fechada”.

Caju amigo
O prefeito Nílson Areal (PR) é um craque em cooptação política. Mal voltou ao mandato e detonou a família Diniz, sua adversária, colocando no bolso o vereador Caju Diniz (PTdoB).

Com certeza
A adesão, com certeza, não foi pelos cabelos louros do Nílson Areal, que nem os tem.

Fumaça pelas narinas
O filósofo do Macuã, Caeté, Yaco e adjacências, Idel Diniz, é o mais irritado com a trairagem.

No torniquete
O deputado Wherles Rocha (PSDB) decidiu colocar um torniquete na deputada Toinha Vieira (PSDB). Nas votações vai fechar sempre questão para que não vote mais com o governo.

Coisa de gaiato
Ao ver a bela defesa do governador Tião Viana, feita pelo deputado Ney Amorim (PT) na Aleac, um jornalista, famoso pela ironia, previu: “é mais 10 cargos que o Ney ganhará do Carioca”.

Rabo do veado
O deputado Eber Machado (PSDC) resolveu investir politicamente em Acrelândia. Em termos de resultado será o mesmo que amarrar dinheiro no rabo de um veado e soltar no campo.

Vai aprender
O deputado Eber Machado é novo, com o tempo vai aprender onde dá ou não dá jogo.

Falando nisso
Falando em reforma, com a adoção eminente das coligações proporcionais, o fim dos pequenos partidos será uma realidade, e seus integrantes terão que procurar outra sigla.

Idésio é o cara
Chega e-mail do leitor Marcos Silveira advertindo sobre a eleição para prefeito de Brasiléia: “o Idésio Frank é o único do PT com chance de derrotar o vereador Everaldo (PMDB)”.

Desastre anunciado
E concluiu: “ao vetá-lo, o PT ajuda por na prefeitura o Everaldo, o que será um desastre”.

Outro e-mail
Este outro e-mail deve ser de alguém da Assembléia de Deus. Detona o pastor Luiz Gonzaga por colocar sem consultar a igreja, seu filho Marcos Lima como candidato a vereador.

Exercício de futurologia
Ao colocar no questionário da última pesquisa quem seria melhor governador, se Tião Viana ou Binho Marques, se trocou a base científica pelo exercício de futurologia.

Como pode
Como comparar um governo que mal começou com um de 4 anos?

Quero o meu
O PRP reuniu e decidiu bater na porta do governador Tião Viana em busca de cargos.

Erro amador
É muito cedo para uma avaliação negativa do governo Tião Viana, a oposição insiste neste erro amador: não aposte no fracasso da sua gestão e tampouco que a PMRB já está ganha.

Hora de cobrar
Em Rondônia, o Tribunal Regional Eleitoral já iniciou o novo cálculo do coeficiente dos partidos com a soma dos votos dos candidatos atingidos pela “Lei da Ficha Limpa” que, por decisão do STF, só vale a partir de 2012. O TRE/AC, neste quesito, está devagar, quase parando. É hora de definir se, com a nova situação haverá mexida ou não nas bancadas dos partidos na Aleac.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation