Política nacional 12/04/2011

“Esse tipo de procedimento é uma distorção do sistema”.

Senador Pedro Taques (PDT-MT), que propõe a proibir parlamentares no Executivo.

AGU derruba acordo milionário de ministro de Lula
A Advocacia Geral da União conseguiu bloquear, na Justiça,o pagamento de R$ 158,4 milhões à empresa VT Um Produções e Empreendimentos Ltda, em decorrência de acordo extrajudicial que a AGU considerou lesivo ao patrimônio da estatal Telebrás. O acordo foi firmado com autorização do ex-ministro das Comunicações Helio Costa, durante o governo Lula, para pagamento de R$ 254 milhões, sendo R$ 60 milhões à vista e 40 parcelas mensais de R$ 900 mil.

Prejuízo gigante
Segundo a AGU, o acordo saiu R$ 20 milhões mais caro que o valor devido. E o pre-juízo à Telebrás pode chegar a R$ 210 milhões.

Acordo amigo
O acordo autorização por Helio Costa com a VT Um, empresa de seu amigo Uadji Moreira, foi firmado sem conhecimento da AGU.

Precipitação
A Telebrás firmou o acordo de pagamento de R$ 254 milhões à VT Um Produções antes de esgotar todos os recursos judiciais possíveis.

Ressarcimento
A ação da AGU na Justiça pede a condenação dos responsáveis, incluindo o ex-ministro, para garantir ressarcimento dos cofres públicos.

Senado desconversa sobre renovação da frota
O Senado agora desconversa sobre a renovação da frota dos carros oficiais dos senadores. Os atuais Fiat Marea se-riam substituídos por Toyota Corolla, em contratos de locação, segundo contou a jornalistas o primeiro-secretário, senador Cícero Lucena (PMDB-PB). Agora, até ele tenta negar o que afirmou: “Estamos analisando alternativas”. Ele não sabia, mas a Lei das Licitações proíbe a fixação de marca.

Disfarça, disfarça
Oficialmente, o Senado informa por sua assessoria que “ainda não foram finalizados” os estudos para a renovação da frota de veículos.

Desordem
Ainda não foi aprovada a lista dos medalhados na solenidade da Ordem do Rio Branco, com a presença de Dilma, na quarta (20).

Horário bancário
Olho vivo: senhas retiradas às 14h10 em algumas agências do Itaú e Santander, no Rio, vêm com horário de 15h para confundir o otário.

Loucos para aderir
Mesmo na oposição, político brasileiro presta vassalagem ao governo. O tucano José Serra certa vez revelou que Lula foi o primeiro a saber, numa conversa pessoal, que ele seria candidato a presidente. Agora, Aécio Neves (PSDB-MG) anuncia que fará uma “oposição generosa”.

Gambiarra
Com a decisão dos novos caças adiada, a FAB quebra o galho com o upgrade de onze F-5: por US$ 85 milhões a AEL, do grupo israelense Elbit Sys-tems, vai instalar radares, supercomputadores e simuladores.

Vade retro
O aspone Marco Aurélio Garcia está à margem, no Palácio do Planalto. Vitória do chanceler Antonio Patriota: chefiando no Itamaraty um dos mais qualificados corpos de diplomatas do mundo, para quê Top-Top?

Mais um puxadinho
A Infraero continua fazendo puxadinhos, em lugar de obras definitivas. A vigarice no aeroporto de Imperatriz (MA) custará R$ 1,5 milhão em “infra-estrutura” e R$ 3,9 milhões pelo barracão. Total: R$ 5,4 milhões.

Vale dos faraós
O presidente deposto do Egito, Hosni Mubarak, negou ser corrupto e quer cooperar com as investigações. Certa múmia brasileira disse anos atrás, em Paris, que o mensalão era “prática normal na vida brasileira”.

O cuco espião
Rebuliço na Suíça, com vazamento no WikiLeaks de que, em 2006, o governo local vigiou trinta embaixadores com um cuco. O “presente” revelou que o embaixador do Brasil (Eduardo dos Santos, um dos mais brilhantes do Itamaraty) roncava ou “tinha burro asmático no quarto”.

No buraco
A Petrobras se encrencou na Nova Zelândia com o Grenpeace e os indígenas Maori, que impedem desde domingo explosões sísmicas para encontrar petróleo ou gás, por “agredirem  o meio ambiente” na costa. O governo chamou a polícia e garantiu que cumprirá o contrato.

Memória da trincheira
O ex-ministro da Fazenda Mailson da Nóbrega autografa nesta terça-feira, em Brasília, seu livro “Alem do feijão com arroz” (Ed. Civilização Brasileira), de memórias. Livraria Cultura do shopping Iguatemi, às 19h.

Bolsa-bandido
Com o aumento do salário mínimo para R$ 545, o auxílio reclusão agora é de R$ 810. Vira pensão por morte para a família do presidiário.

Presidência como meta
Em 1950, um grupo conversava na casa da escritora Maria de Lourdes Lebert, em São Paulo, quando entrou uma linda jovem, olhos de gata, sem cumprimentar ninguém. Foi interceptada por um galanteador:
– Você chega e não fala com ninguém. É só porque é bonita?
– Não o conheço – respondeu ela – Quem é você?
– Sou o futuro presidente da República…
– …e eu sou Joana D’Arc – devolveu a moça – Já ouviu falar nela?
A jovem era a modelo Nair, que depois se casaria com o tapeceiro Genaro de Carvalho. O rapaz era o deputado estadual gaúcho João Goulart.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation