Política nacional 15/04/2011

“Não sei como alguém estuda tanto para esquecer o povão”.

Ex-presidente Lula e a recomendação de FHC para o PSDB priorizar a classe média.

PT ainda briga por ‘erros’ da campanha de Dilma
Avitória nas urnas não neutralizou as brigas internas da campanha da presidenta Dilma, expondo a disputa entre integrantes do staff da então candidata e o marqueteiro João Santana. Documento reservado, entregue à direção do PT, acusa Santana de pôr em risco a vitória de Dilma, ao insistir na estratégia de ignorar os ataques do PSDB, o que teria provocado o declínio que levou a eleição para o segundo turno.

Sem pesquisas
O documento para o PT, que seria obra do publicitário Marcos Flora, acusa Santana de basear a estratégia em pesquisas jamais realizadas.

Sem contratos
Marcos Flora e prepostos de Antonio Palocci teriam percorrido todos os institutos de pesquisa confirmando que João Santana não os contratou.

Como uma rocha
Apesar das desconfianças dos rivais no PT, João Santana continua merecendo a confiança de Dilma: é ele quem a dirige na TV.

Campeonato de copo
O “doutor” Lula diagnosticou em Londres que o jogador Adriano “tem plenas condições de jogar”. Até ser presidente do Brasil, faltou dizer.

Ministro levou à China ‘sombra’ que o anulou
O Ministério do Desenvolvimento ficou às moscas, na visita de Dilma à China. Integrando a comitiva, o ministro Fernando Pimentel se fez acompanhar do secretário-executivo, seu substituto eventual. “Amigo de Dilma”, o tampinha Alessandro Teixeira, do alto dos seus 1,48m de altura e 100m de vaidade, exigiu ser chamado de “vice-ministro”. E fez parecer, o tempo todo, ser ele o ministro. Pimentel que se cuide.

Megalonanico
Alessandro fez questão de exibir sua “autoridade”. Até Mauricio Borges, grandalhão que preside a Apex, parecia alguém amestrado diante dele.

Mala
Na China, repórteres já não aguentavam o assédio do ministro Aloizio Mercadante. É do tipo que se assanha ao menor sinal de holofote.

Craque
A ministra Helena Chagas faz falta a Dilma, na viagem à China, mas seu substituto Rodrigo Baena Soares manda bem. É um craque.

Corriola vip
O presidente da Confederação Nacional da Indústria, Robson Andrade, liderou grande comitiva à China, mas pisou na bola ao instituir um crachá vermelho para “vips” – sua cor-riola, claro, e dirigentes de empreiteiras como OAS, Queiroz Galvão, Camargo Correa etc.

Página virada
Discreto e acessível, o chanceler Antonio Patriota levou à China uma assessora. Diferente do antecessor, Celso Amorim, que, em viagens oficiais, cercava-se de batalhões de “serviçais” pagos pelo contribuinte.

Silêncio que vale ouro
Lula adquiriu a União Nacio-nal dos Estudantes destinando-lhe R$ 44 milhões, um pouco antes de sair do governo, para “reconstruir a sede”, no Rio. Do total, a hoje endinheirada UNE já embolsou R$ 30 milhões.

Peixe frito
Pifou o ar-condicionado no prédio do Ministério da Pesca, alugado por R$ 575 mil mensais. Os servidores levam ventiladores de casa, mas não podem espalhar: agora só podem mandar seis e-mails por dia.

Briga por cadeiras…
Contra a Constituição e o estatuto da OAB, têm sido reservadas no plenário do Supremo Tribunal Federal duas cadeiras para a Advocacia Geral da União. Ontem, dois advogados da AGU interpelaram, como vigias, colegas que lá estavam: “Essas cadeiras são da AGU!”.

…quase deu flagrante
Os advogados reagiram: “Não, estas cadeiras são do Supremo”. Um advogado da União retorquiu, cheio de moral: “Mas é a AGU que paga as contas do STF!” Se algum ministro tivesse ouvido o diálogo insólito, certamente daria voz de prisão ao serelepe AGU.

Busão
O estatal Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (IPEA) concluiu que nove aeroportos em cidades-sedes não ficarão prontos até a Copa. Sem trem-bala, torcedores apelarão para ônibus. Se houver estradas.

O que é isso, companheiro?
Ninguém mais capitalista que um esquerdista com dinheiro: Lula vai à Espanha receber o prêmio Libertad e €18 mil. Deveria dá-los aos sindicalistas espanhóis, em guerra contra a Telefônica, que vai cortar 6 mil empregos. A empresa bancou conferência dele.

‘Réplica’
A China quer abrir no Brasil o Industrial & Comercial Bank, o maior do mundo. Não demora muito, os chineses também vão fabricar reais.

O sem-audiência
Depois de meses sem conseguir ser recebido pelo então ministro Patrus Ananias (Desenvolvimento Social), o deputado Givaldo Carimbão (PSB-AL) não contou conversa: saiu da sala de espera do ministro, foi a uma loja, comprou dez metros quadrados de lona preta e voltou. Sem dizer nada, começou a estender a lona no hall do ministério. Indagado por funcionários, esclareceu: iria acampar ali mesmo, até ser recebido pelo ministro. Patrus Ananias apareceu em sua frente no tempo recorde de 60 segundos.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation