República Independente do Acre

* A importalidade é o que A. É o O, ó!

* Nêce centido é que esta titular foi paltada pela Dona Geizy Negreiros para levar Bombonzão (Ai, Bombonzão!) por que o Seu Silvio – o patrão da Dona Ivete – ia para a academia.

* Cinseramente, o Rái Sossaite é uns comeno ozoutro!

* Nunca pencei que a nossa Editoura fizece uma coiza deças com uma kalunista do meu que late.

Joooo6
* Uma proficionau céria e morta de xicoza, eu nem reclamei de nada, mas quando ajente chegamos lá, vimos divessas peçouas vestindo roupas pretas, que esta titular pençou estar numa reunião do BOPE.

* Bem que esta titular avia disconfiado, por que o Seu Silvio não é de malhar, o que é que ele ia fazê na academia?

* Me polpe!

* Num esfôsso de reportaige, eu maiz Bombonzão botamos em prática todas as noças técnicas da facudade, por que uma kalunista investigativa preciza dá o furo.

* E foi o que esta titular fez, numa entrevista coletiva excluziva com um flanelinha que vijiava os carros naquele nozocônio.

* Discubri que gentes mil estávão ali por que o Dep. Est. Seu Moisés ia abrir o mar para a Base Alinhada e estava partissipando de uma seção para fexar o corpo e que foi ele que iscreveu a novela que conta a istória daqueles negocim colorido que a Prefeitura coloca quando está obrando na sidade, O Cone.

* Não é fássil cer A Quiridinha do Jeg- Set!

* Quando eu xeguei de Camutama, xeia de perebas e tomate no balde, a Dona Ivete – minha ídola, minha muza, e do Seu Silvio, claro! – axaram que eu não dava pra agricultor.

* O Seu Silvio vil o meu potenciau e me introzudil na Redassão!

* Neste Matutinho esta titular tem enfrentado coleguinhas que só queréim meter o pau nozoutro, maiz esta titular não dá pra xeirar, que não é roza.

* Nêce centido, quem quizé meter o pau em mim, tenha mena diguinidade de metê pela frente!

* Sou uma mossa donzela, cuja única falha é a prática do Jornalismo conilíngüe, daí porque sou afilhiada ao SENAC e vou cubrir a reunião dos deputados do Coneçul, a convite do Dep. Fed. Seu Sibá Maxado.

* Nunca precizei me afilhiar a a Açossiassão dos Comunistas Sossiaiz, a pezar da Dona Roberta Lima, gente do maiz auto que lato, já ver-me comvidado para tau.

* O Seu Silvio, a liaiz, que muito ademira o meu lado proficionau, já me matriculou no cusso de ora tora do Seu Adevogado Jorge Araquéim, pra inveja da Dona Jackie Pinheiro maiz a Dona Jocely, peçouas que esta titular até ademira.

* Estou no alpisse da minha carreira!

* Até ressebi convite do Seu Itaan Arruda para fazê um artigo sobre economia doméstica.

* Seu Itaan dice que esta titular está no caderno dele, maiz esta titular não lhe deu nem êce tipo de intimidade!

* Estou pençando em iscrevê sobre a fauta de carne no Projecto Pacu do Gunverno.

* Maiz ainda avalil ,porque o Seu Itaan dice que eu terei que ir atraiz da fonte da Secretaria da Fazenda e esta titular nunca pençou que o guverno estivece concorrendo com as Casas Pernambucanas no mercado dos panos de corte.

* Se a Editoura aperrear muito, esta titular vai se jogar da ponte, e nem a Dona Lenilda cerá capaiz de evitar que eu conte tudo, tintin por tintin para a Dona Ivete.

* Me polpem!

 O DEDÉ, AS SIRIGAITAS E OS JIPEIROS
Quando os jipeiros desligaram os lebréios e se escancharam em cadeiras- coisas que eles lá carregam entre os bregueços para relaxarem o fim- do- espinhaço – foi um frejo à beira da praia do rio.

Naquele dia Porto Acre voltaria à História, porque – parecia uma coisa! – o Helicóptero do Governo dera o caé de haver tomado o mesmo rumo, e praticamente aquatizara no mesmo local.

Ali, umas moças resolveram bater chapa ao lado, dentro do avião- de- rosca e fazendo mizura com a tripulação, o que abiscoitou a mídia, num siribôlo que ganhou a lapa do mundo.

Pois, naquele dia, o Dedé estava naquela praia, e tinha levado com ele Mariazinha!

O cabra que resolve andar de jipe nas trilhas lamacentas do Acre precisa ser pelo menos “ meio Dedé”, senão meio lelé, o que exige uma dose macêta de bom humor, um troço que o filho do Delegado Tristão tinha de ruma, e misturava a um certo ar cínico aparentemente sério, o que piorava em muito as conseqüências de suas mangofas e matanças. Quem o conheceu morreu de rir dos mungangos do Dedé!

Naquele final de manhã, às beiras da praia em Porto Acre, porém, Dedé parecia amuado, com o olhar que media o nada do horizonte, o helicóptero João Donato e duas “ sobrinhas” de um dos jipeiros.

O cabra tinha resolvido misturar à bagagem as moçoilas, que eram mais ou menos abonitadas, então bicoradas e devidamente marcadas pelas “ zagueiras” dos donos dos jipes, porque- afinal- o cachorro levou as quengas misturadas às famílias alheias, quebrando regras do Acre Jipe Clube, diz- se que!

Quando Mariazinha percebeu Dedé olhando para determinada direção, resolveu se aproximar dele de surpresa, mas com a pergunta pra lá de sutil na ponta da língua:
– Dedé, o que é que tu tá sentindo?

Sem nem se mexer na cadeira ou mover a pinta- de- olho, o Dedé abarcou:
– Inveja, minha velha, inveja…

MINIDICIONÁRIO DE ACREANÊS

DEDÉ – Demóstenes Cavalcanti, fiscal da Fazenda Estadual
MARIAZINHA – Esposa do Dedé; filha de Martins Bruzugu e Tia Tereza
LEBRÉIOS – Carros velhos, desingonçados
ESCANCHARAM – Montaram; sentaram
BREGUEÇOS – Utensílios
FIM- DO – ESPINHAÇO – Região lombar; os quartos
FREJO – Movimentação;
BATER CHAPA – Tirar retrato; tirar fotografia
AVIÃO- DE ROSCA – Helicóptero
MIZURA – Mezura;
MUNGANGOS – Gracejos; piadinhas
ABISCOITOU – Conquistou
SIRIBÔLO – Agitação festiva; confusão
GANHOU A LAPA DO MUNDO – Saiu pelo mundo; repercutiu demasiadamente
MACÊTA – Grande; descomunal
DELEGADO TRISTÃO – Cavalcanti, ex-policial, pai de Dedé, Carlito, Margarida, Marcio,Tantão
MANGOFAS – Gozações;
MATANÇAS – O mesmo que gozações; deboches
AMUADO – Intenso; absorto
ABONITADAS – Marromeno
BICORADAS – Espreitadas; fiscalizadas por olhos
SIRIGAITAS – Moçoilas namoradeiras; quengas, pronto!
PINTA- DO – OLHO – Íris

Assuntos desta notícia


Join the Conversation