Depois de ultrapassar os 14 metros, Rio Acre começa a baixar na Capital

Aos poucos o Rio Acre dá sinais de vazante! Ontem, ele saiu da cota de transbordamento (14 m) baixando para 13,52m no final da tarde. O rio que corta 6 municípios acreanos causou surpresa ao subir repentinamente no começo do mês. Segundo dados da Coordenadoria de Defesa Civil do Estado não há registro histórico para enchentes em abril.
Cheia-rio0504
Dez famílias foram removidas dos bairros mais próximos às margens do rio e foram encaminhadas ao Parque de Exposições Castelo Branco, onde deverão permanecer até que o nível das águas se torne seguro. Um Plano de Contingência para enchentes, elaborado pela Defesa Civil Municipal, chegou a ser acionado no sábado, envolvendo equipes da Prefeitura de Rio Branco.

O coordenador da Defesa Civil Municipal, coronel Gilvan Vasconcelos, acredita que a tendência é que o rio baixe ainda mais nos próximos dias. Segundo informações da assessoria de imprensa da Prefeitura de Rio Branco, os bairros com residências afetadas pelo transbordamento do rio são o Cidade Nova, Aírton Sena, Baixada da Habitasa e Triângulo Novo. As famílias desabrigadas recebem ações nas áreas de saúde, alimentação e acompanhamento familiar. “Elas deverão ficar lá até que seja seguro voltar para casa”, informa Gilvan Vasconcelos.

Nos municípios de Xapuri, Brasiléia e Epitaciolância, o rio, que havia subido mais de 2m em média no final de semana, também começa a voltar ao normal. Os rios Iaco (corta o município de Sena Madureira) e Juruá, (Cruzeiro do Sul) ainda preocupam as autoridades da Defesa Civil e são monitorados. O Iaco apresentou, ontem, 15,43m – 23 cm acima da cota de transbordamento. Já o Juruá – que está acima da cota de alerta – tem as águas baixando lentamente desde o dia 1º e marcou ontem 12,58 m.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation