Famílias abrigadas no Parque de Exposições esperam poder voltar para casa amanhã

Seis famílias ainda aguardam a liberação da Coordenadoria Municipal de Defesa Civil para voltar para casa. Elas estão abrigadas no Parque de Exposições Marechal Castelo Branco desde o último final de semana quando o Rio Acre ultrapassou a cota de transbordamento chegando a 14,16m. Ontem, ao meio-dia, o rio estava com 2 metros a menos. Se o rio continuar baixando, as famílias devem receber autorização para deixar o parque até amanhã.
Abrigo0704
O plano de contingência elaborado pela prefeitura de Rio Branco foi colocado em ação com ajuda de parceiros que viabiliza assistência à saúde, alimentação, transporte de móveis e utensílios, atividades recreativas para crianças, além de limpeza do local e segurança.

Auricélia Nascimento nunca havia passado pela experiência de uma enchente. Ela mora no bairro Sobral em casa alugada com recursos do programa Bolsa Moradia Transitória. Cadastrada em programa social de habitação, a dona-de-casa aguarda por uma residência própria há 2 anos e diz que se o aluguel do mês de abril não estivesse pago ela iria procurar outro imóvel. A água chegou ao assoalho da casa e ela chegou a perder um colchão.

“Quando vi a água chegando, liguei logo para a Defesa Civil. Ainda bem que deu tempo, mas minha filha ficou sem ter onde dormir”, conta ela, na tentativa de conseguir uma doação. Auricélia está ansiosa para voltar para casa com as filhas e o marido.

Já para Luciana Gomes, que está no parque em companhia de 3 filhos e o marido, a situação é mais complicada. A casa que ocupa na Baixada da Habitasa está correndo o risco de desmoronar. “Meu marido já ajeitou e não adiantou. Vamos ter que esperar, porque não posso colocar meus filhos lá correndo o risco de cair”, diz.

Coordenador diz que famílias devem voltar até sexta
O coordenador municipal de Defesa Civil, Gilvan Vasconcelos, acredita que se o nível do Rio Acre continuar baixando, até sexta (8) as famílias deverão retornar para as suas casas. Em 2010, cerca de 300 famílias precisaram ser retiradas de suas casas devido à cheia do Rio Acre. Neste ano, apenas oito famílias que moram nos bairros Cidade Nova, Aírton Sena, Triângulo Novo e Baixada da Habitasa foram acolhidas no Parque de Exposições.

Os demais rios do Estado que transbordaram como o Iaco em Sena Madureira e Juruá, em Cruzeiro do Sul, começam a baixar. O relatório da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) registra nível inferior à cota de transbordamento. O Riozinho do Rola, principal afluente do Rio Acre, também apresenta vazante.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation