Mais de 10 índios estão com tuberculose na Casa do Índio

Onze índios das etnias Jaminawá, Kulina e Jamamady estão infectados com tuberculose. Ricardo Kulina, José Kulina, Alzira Kulina e Nauane Kulina podem ter contraido a doença nas próprias dependências da Casa do Índio (Casai). João Raimundo e João Pereira, da etnia Jaminawá, estão internados nos Hospital das Clínicas. Três índios Jamamadys deram entrada nos últimos dias.

Profissionais em saúde da Fundação Nacional de Saúde  (Funasa) e da Casai, até o momento, não souberam explicar o motivo do aumento do número de casos da doença. Por ser uma casa de passagem, a Casai não possui um ambiente apropriado para o tratamento, o que poderia estar elevando os números “Não precisa ser infectologista para saber que o ambiente da Casai é propício para contaminações”, disse o coordenador dos Povos Huni Kui do Acre, Nunawá Huni Kui.

Uma equipe formada por um médico, um bioquímico e um enfermeiro estiveram na semana passada numa aldeia Jamamady, em Boca do Acre/AM, e constataram um surto entre os índios. A reportagem de A GAZETA esteve na Funasa, mas não conseguiu obter maiores informações. O responsável pela atenção à Saúde Indígena, Raimundo Costa, de acordo com os servidores, estaria viajando.

O coordenador provisório da Casai, Rui Barbosa, disse que tuberculose é comum nas aldeias do Alto Purus e, com o tempo, vem se agravando. Os índios, segundo ele, interrompem o tratamento e não tomam as medidas recomendadas pelos profissionais em saúde. “Eles descontinuam (sic) o tratamento, que é muito prolongado, Isso aumenta o número de doentes nas al-deias”, explicou Barbosa.

Quanto às instalações da Casai, ele justifica dizendo que o local é apenas uma casa de passagem. “Nos os acomodamos e fazemos os encaminhamentos necessários. Os mutirões da Secretaria de Saúde, que são bem freqüentes aqui, fazem uma triagem e estão resolvendo, em um curto período de tempo, questões de média e alta complexidade”, finalizou o coordenador, para quem acredita que a Saúde Indígena ‘avançou nos últimos meses’.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation