Projeto ‘Tomate no Balde’ será levado para os municípios acreanos

Em breve os consumidores acreanos pagarão mais barato pelo quilo do tomate e o produto estará disponível nos mercados não só da Capital, mas também de municípios isolados. Isso será possível através de uma nova técnica, trazida para o Acre, que soma baixo custo e fácil manejo com resultado garantido. O produtor Carlos Aparecido, o Carlão, implantou um projeto piloto em sua propriedade, no Quinari, e espera faturar R$ 2 mil por mês com a plantação de mil pés de tomate.
Tomates2004
“Nós queremos que o tomate abasteça não só a capital, mas o interior do Estado, para que todos tenham acesso a um produto com preço acessível e a gente possa acabar com a importação de produtos agrícolas. Essa é a nossa meta e isso é possível com o uso de novas técnicas e assistência adequada. O governo está aqui para ajudar a produção agrícola”, disse o governador Tião Viana.

Na propriedade de Carlão, além dos 102 pés de tomate que fazem parte do projeto piloto, há também alface, rúcula, pepino e outras hortaliças. A renda mensal é  de R$ 4 mil líquidos, e a expectativa do produtor é faturar R$ 2 mil somente com a venda da safra de tomate. “Essa era uma experiência piloto, agora vamos aumentar a produção para mil pés e é um produto muito bom, de manejo fácil, que tem compra garantida. Eu vou continuar investindo no tomate”, afirmou o produtor.

A técnica, que já existe na região do Juruá, vai ser levada também para outras propriedades. O técnico Aparecido de Oliveira Silva, o Buiú, foi a São Paulo aprimorar os conhecimentos e trazer o passo-a-passo da produção do tomate em baldes para o Acre.

Ele explica que são necessários apenas R$ 4 por balde desde o plantio até a colheita do tomate. Cada pé produz de oito a 12 quilos do produto. “Essa é uma técnica adequada para o nosso Estado. O produtor tem imensa facilidade no manejo e o tomate é totalmente sem agrotóxico. No balde são colocados apenas areia e material orgânico”.

O secretário de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar, Lourival Marques, ressaltou que o projeto Tomate no Balde será levado para os municípios, principalmente os de difícil acesso, como Jordão e Santa Rosa, onde o tomate não chega ou tem um valor muito alto. “A princípio o governo está investindo em cem estufas para hortaliças e vamos priorizar o plantio de tomate numa parte dessas estufas para garantir a produção de um tomate sem agrotóxico, totalmente orgânico”, disse. (Agência Acre)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation