Política versus gestão

Mesmo que todos os partidos digam que ainda está cedo para se falar em eleição municipal o assunto está vivo em todas as rodas de políticas. A cada dia as especulações crescem com o desfile de nomes de possíveis candidatos tanto na Capital quanto no interior. Também não faltam palpites sobre as posturas dos partidos que integram a Frente Popular ou a oposição em relação à condução do processo eleitoral de 2012.

Como acompanho os bastidores da política e converso cotidianamente com os seus principais personagens tenho ficado preocupado. Sobretudo, em relação a quem poderá a vir governar Rio Branco. Por questões históricas a Capital acreana cresceu de maneira desordenada sem nenhum tipo de planejamento. Os problemas urbanos foram aumentando e se tornando cada vez mais complexos para serem resolvidos.

O meu temor é que a prefeitura de Rio Branco se torne muito mais um pólo político do que administrativo. Se isso acontecer será uma tragédia para os moradores de Rio Branco. Alguém que chegar à prefeitura com outras intenções que não seja dar uma resposta satisfató-ria imediata aos problemas da cidade vai fazer a população sofrer.

As conversas que ouço tratam muito mais de possíveis alianças políticas, disputas partidárias internas e de nomes para a disputa do pleito. Isso tanto na oposição quanto na Frente Popular. Ainda não vi ninguém falar que tem um projeto técnico e específico para uma gestão eficiente da Prefeitura de Rio Branco. Decididamente o posto não pode ser um bunker temporário para abrigar alguém com intenções de fustigar os adversários políticos e, posteriormente, alçar vôos mais altos em 2014.

Rio Branco precisa de soluções imediatas para questões de esgotamento sanitário, pavimentação de ruas, distribuição de água potável e urbanização dos bairros periféricos. Não vai adiantar nada eleger um político carreirista que não esteja realmente preocupado com a gestão do município. Atualmente a nossa Capital necessita muito mais de um realizador obstinado e trabalhador do que de um hábil político.  

Portanto, os políticos que sonham com a Prefeitura de Rio Branco devem começar a conhecer de perto os seus problemas. Depois mostrar um projeto exeqüível que transmita confiança aos seus munícipes. Para então tentar apresentar as argumentações políticas. Se não for assim haverá muito choro e ranger de dentes nos próximos anos à nossa população. 

* Nelson Liano é jornalista
[email protected]

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation