Gasolina e batata puxam nova alta da inflação, mostra FGV

gasolina_e_batata

A inflação calculada pelo Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) voltou a acelerar nas quatro semanas encerradas em 30 de abril, segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV). O indicador, que ficara em 0,80% na semana anterior, passou a 0,95%.


A gasolina e a batata-inglesa foram os itens que mais pesaram: o combustível ficou 5,98% mais caro, enquanto o preço da batata subiu 30,68%. Também pesaram as altas do álcool combustível (10,47%), do leite longa vida (3,82%) e da manga (23,31%).


Com o resultado da última semana, o IPC-S acumula alta de 3,46% no ano e de 6,05% nos últimos 12 meses.


Entre os grupos que compõem o IPC-S, alimentação voltou a apresentar aceleração, passando de 0,91% para 1,04%, com destaque para hortaliças e legumes (de 3,71% para 4,20%), panificados e biscoitos (de -0,43% para -0,22%), laticínios (de 2,12% para 2,51%) e carnes e peixes industrializados (de 0,74% para 1,16%).


Também ficaram maiores as taxas dos grupos transportes (de 1,82% para 2,10%), despesas diversas (de 0,53% para 0,81%), vestuário (de 1,06% para 1,34%), saúde e cuidados pessoais (de 0,87% para 1,10%) e habitação (de 0,38% para 0,47%).


Em sentido contrário, apenas a taxa do grupo Educação, Leitura e Recreação perdeu força, recuando de 0,36% para 0,32%. “A principal influência para este movimento partiu do item passagem aérea, cuja taxa passou de 3,08% para -1,04%”, diz a FGV em nota. (G1)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation