Política local 15/07/2011

“Toda história pode ser contada de forma diferente”.

(Ditado grego)

Posição republicana
Depois que conseguiu atravessar bem a turbulência de sua primeira negociação salarial, não aceitar a sugestão radical da PGE de corte de ponto, o governador Tião Viana deveria liberar a sua base na Aleac a votar a favor da anistia aos PMs punidos por lutar por melhores salários.

Melhor opção
Há uma proposta do deputado Astério Moreira (PRP) que me parece a melhor e mais rápida opção: como se tratam de punições administrativas, Tião Viana anistiar de próprio punho.

Posição insustentável
A permanência do jornalista João Braña na Assecom da Aleac ficou insustentável depois de seu bate-boca com o deputado Luiz Tchê (PDT), fato pelo qual perdeu apoio de muitos deputados.

Fatos requentados
Foi acusado de ser o mentor de uma matéria ofensiva aos deputados Luiz Tchê (PDT) e Ney Amorim (PT), na internet, causando um problemão para o presidente Élson Santiago (PP).

Matéria requentada
Na verdade, uma matéria requentada de fatos do início da atual legislatura, agora reavivados.

Confronto aberto
Ontem, foi um constrangimento geral, com funcionários de carreira da Casa, protestando nas galerias por supostamente terem sido chamados pejorativamente por ele de “barnabés”.

Tiroteio político
Braña faz um bom trabalho na Assecom, nem se discute, mas está no meio de um tiroteio político na Casa, onde é a parte mais fraca, o que lhe deixa sem paz para trabalhar.

Tirou do sério
O fato tirou do sério até o calmo vice-presidente deputado Hélder Paiva (PR) que foi à tribuna pedir que deixem o presidente Elson Santiago (PP), que foge de picuinhas, trabalhar em paz.

Sem clima
O deputado Luiz Tchê (PDT) disse ontem à coluna que suas relações com o assessor João Braña entraram na cota do insuperável e que ia colocar o assunto em discussão na mesa diretora.

Mapinguari político
Contaram ontem uma piada tão sem graça que acabou arrancando risadas. O vereador Roger (PSB) acreditar que pode ser o vice na chapa de prefeito da FPA. Melhor crer em Mapinguari!

Chuva no roçado
Ao ver ontem o comedido deputado Hélder Paiva (PR) fazer um duro discurso na defesa das ações do Tião Via-na, o deputado Walter Prado (PDT), sapecou: “choveu forte no seu roçado”.

Não viu nada
Hélder Paiva, na sua calma de monge budista, retrucou: “o Walter não viu nada ainda, discursos a favor do governo vou fazer é quando eu retornar do recesso parlamentar”.

 Não se entende
A Justiça Eleitoral tem nuances que não se entende. Cassou o ex-deputado N.Lima (DEM) por participar de uma cavalgada na Expoacre e absolveu autores de bandalheiras pesadas.

Não conheço
Conheço dezenas de candidatos que participaram da mesma cavalgada, mas punido por este fato só conheço mesmo o ex-deputado N.Lima (DEM), o que considero um despautério.

Bem conduzida
O assessor do governo, Antonio Monteiro, conduziu com êxito admirável a segunda fase das negociações salariais, conseguindo acordos que pare-ciam impossíveis de serem concretizados.

Fases da produção
O que pode levar a fábrica de industrialização de pescado dar certo é ser gerida por uma cooperativa e abranger todas as fases: fábrica de ração, frigorífico e produção do pescado.

Deixando azeitado
Pesa ainda a favor o secretário Edvaldo Magalhães acompanhar “full time” o projeto.

Chequei para não errar
Sobre a tensa desocupação de uma área em Brasiléia, para ser isento, chequei com várias fontes: a PM só reagiu à agressividade dos invasores, chefiados por grileiros vindos de Rondônia.

Também não é
Polícia não é para bater em ninguém graciosamente, mas, revidar uma agressão é legal.

Enfim
Deputado que quiser de agora em diante fazer salamaleques com homenagens somente poderá fazê-lo em dias que não houver sessão ordinária, evitando assim a quebra dos debates.

Aceitação majoritária
Os deputados acataram a proposta do deputado Walter Prado (PDT) e votaram a favor.

Para melhor
O deputado Jamil Asfury (DEM), enfim, começou a atuação que dele se esperava na Aleac.

O leão e o gato
Durante os protestos por melhores salários na Aleac, o deputado Walter Prado (PDT) viu na galeria uma senhora com um cartaz: “deputado Edvaldo Sousa, você é a nossa esperança”. Prado chegou de mansinho no ouvido da mulher e disse: “não perca seu tempo, ele é do governo, na televisão ruge como um leão e aqui na Assembléia mia como um gatinho”. Num segundo a mulher enrolou o cartaz.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation