Política nacional 20/07/2011

“Pintou dúvida de corrupção, vai ter que rodar”.

Líder do PR na Câmara, Lincoln Portela (MG), sobre a demora dos partidos em punir.

Dilma barra chefão da CBF no Palácio
Na mira da FIFA por suspeita de corrupção, o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, caiu em desgraça com a presidenta Dilma Rousseff. Ela não atende às suas ligações e evita recebê-lo no Palácio do Planalto. Diretor do Comitê Organizador da Copa de 2014, Teixeira apelou ao ministro do Esporte, Orlando Silva, para tentar audiência, mas em vão. Dilma trata qualquer assunto referente ao evento só com o ministro.

Pé na porta
Até ano passado, quando o inquilino no palácio era amigão do peito Lula, Teixeira entrava no gabinete do presidente sem marcar audiência.

Confeiteiros
O bolo levado a Dilma no café com aliados foi comprado por Henrique Alves e Romero Jucá. Mas a situação dos dois não melhorou com ela.

Rainha do ar
Têm sido diárias as ligações da ex-presidente da Anac Solange Vieira para os cinco diretores da agência. Sem saudade. É para dar ordens.

Acostamento
O senador Mario Couto (PSDB-PA) deve ter se perdido pelas estradas. Silenciou-se. Mas no plenário, vivia dizendo: “Luiz Pagot é um ladrão”. 

Delegado custará…
A governadora Roseana Sarney (MA) reconduziu ao cargo o delegado da Polícia Civil Luís de Moura Silva, por ordem do Tribunal de Justiça. Suspeito de uma série de crimes, ele foi afastado em 2000 na mira da CPI do Crime Organizado. Com o salário atual de R$ 10.162, o 7º melhor do país, e os 130 meses de afastamento, o delegado poderá reembolsar de indenização cerca de R$ 1,3 milhão, sem contar as gratificações.

No ar…
Quem entende de aviação diz que o mais importante para os aeroportos na Copa e Jogos é a modernização do sistema, e não puxadinhos.

…e na terra
A casa de câmbio Confidence, no Aeroporto JK, continua a cobrar taxa de R$ 10 em nome da Infraero, embora a estatal negue a autorização.

Rio 40º
No sábado e domingo, dia de maratona no Rio de Janeiro, faltou coco na maioria dos quiosques da orla, da Barra ao Flamengo.

A volta de Duda
O publicitário “petista” Duda Mendonça ressurge amanhã. É ele quem assina as peças da campanha da frente política que defende a criação dos estados de Tapajós e Carajás, desmembrados do Pará. Duda tem fazenda na região do Carajás, e não cobrará pelo trabalho.

Quem responde
Embora o TSE tenha decidido que o plebiscito será em todo o Pará, o STF, provocado pelos interessados nos estados, ainda é quem definirá se o plebiscito poderá se limitar apenas à população da região envolvida.

Alô? Alô?
Pode parar além do Tribunal Regional Eleitoral a suposta “limpa” no diretório do DEM de Santa Catarina por assessores de deputados que se bandearam para o PSD de Gilberto Kassab. Até celular sumiu.

Multifunção
A ex-embaixatriz Lúcia Flexa de Lima não será assessora especial só de Dilma Rousseff, mas de todos os ex-presidentes. Terá inclusive que aguentar Lula, caso ele requisite a conhecida “expertise” diplomática.

$obram economista$
O Conselho Federal de Engenharia deveria fazer uma visita ao Ministério dos Transportes. Responsáveis pelas obras, o diretor demissionário do Dnit, Luiz Pagot, e o atual ministro, Paulo Passos, são economistas. Talvez isso explique as cifras que escorrem pelas estradas do país. 

Pé-frio remoto
Convidado para assistir ao jogo da Seleção na Copa América, num churrasco com petistas em São Bernardo (SP), Lula deu bolo, mas não adiantou. A fama de pé frio mandou a urucubaca: vexame total do Brasil.

Terra firme
As viagens turísticas de navio caíram muito, segundo o presidente da Associação de Cruzeiros Marítimos, Ricardo Amaral. Ele culpou a infra-estrutura portuária pela queda de quase 19% nas passagens.

Contra-cheque federal
Delegados federais e a União dos Advogados Públicos Federais, entidade que reúne AGU e procuradores federais, entre outros, preparam o Dia de Mobilização Nacional para reivindicar reajustes salariais.

Corrida explosiva
Será que o Salto sobre Bueiros será incluído como modalidade nos Jogos Militares do Rio?

PODER SEM PUDOR
Xixi ministerial
O ministro Márcio Thomaz Bastos (Justiça) ouvia, calado, duras críticas ao presidente Lula feitas pelo então presidente nacional da OAB, Roberto Busato, e pelo presidente da OAB-SC, Adriano Zanotto, na Conferência Nacional dos Advogados, em Florianópolis. A cada crítica – sempre aplaudida pelos milhares de advogados presentes ao encontro – Thomaz Bastos procurava disfarçar o constrangimento tomando um gole d’água. Ao final dos discursos, encharcado, ele não teve outra saída senão seguir às pressas para o banheiro de autoridades.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation