Política nacional 21/07/2011

“Para mim, esse governo Dilma é uma nau sem rumo”.

Senador Aécio Neves (PSDB-MG), sobre os 200 dias do governo Dilma.

Rio paga cinco vezes mais por viatura
Ogoverno do Rio pagará R$ 154.476 por cada nova viatura da Polícia Militar, ou o quíntuplo do valor do modelo Logan, da Renault, o carro escolhido em pregão. No mercado, o completo custa R$ 36 mil. O estado vai receber 1.508 carros, e alega “adaptações” que encarecem a patrulha. Mas o Logan saiu mais caro que a Toyota Hilux, picape de luxo comprada pelo governo do Ceará, a R$ 150 mil cada, para sua polícia.

Conforto
Os policiais cariocas terão carro com ar e direção hidráulica. As viaturas francesas vão circular na capital e na Região Metropolitana.

Faroeste urbano
Pelo andar da viatura, o governo espera um confronto com guerrilhas. Reservou mais R$ 257 milhões para a manutenção por 30 meses.

Pista dupla
Como revelou a coluna dia 8 de junho, o empresário Eike Batista, amigo do governo, negocia com a Renault sociedade em fábrica de carros Rio. 

Comendo poeira
A patrulha Hilux cearense, R$ 4 mil mais barata, além de mais potente, tem banco em couro, roda de liga leve e câmbio automático.

Comissão de Ética
Três meses antes de virar ministro interino dos Transportes, o então secretário-executivo Paulo Sérgio Passos recebeu advertência da Comissão de Ética Pública, vinculada à Presidência da República, por descumprir o prazo legal de dez dias, após a posse, da Declaração Confidencial de Informações, discriminando patrimônio, atividades e outras exigências do Código de Conduta da Alta Administração Pública.

Atabaques
Lula, o pé-frio top da República, desafiou os orixás baianos, visitando d. Canô, 102, mãe de Caetano Veloso e Maria Bethania. Haja charuto…

Pré-Olimpíadas
Nova APO, o ministro Marcio Fortes embarca para o Rio hoje. Vai conferir o centro de informações do Exército nos Jogos Militares.

Diretor “aditivado”
Depois de suar a blusa para demitir Palocci, Dilma agora transpira em bicas para tirar Pagot. Ele só tem compromisso com o erro dos outros.

Serra: bye, bye Brasil
O tucano José Serra está de malas prontas para os Estados Unidos, onde deve ficar até 2012 para uma jornada de estudos numa das mais renomadas universidades do país. Serra já morou na América quando teve de deixar o exílio no Chile e não podia retornar ao Brasil.

Bancada do armário
O deputado federal Jean Willys (PSOL-RJ) declarou no programa de Marília Gabriela, no GNT, que pelo menos 30 parlamentares são gays não assumidos na Casa. Entre homens e mulheres.

Banqueteiro
Festeiro com jantares em seu apartamento, o deputado Fabinho (MG) do PV atingiu o auge. Recebeu o vice Michel Temer e o chefe da Câmara, Marco Maia, terça (12) passada. Mas se irritou com alguns penetras.

Paisanos
Faltou farda nos Jogos Mundiais Militares, no Rio: os comandantes das três Forças não apareceram no camarote presiden-cial. Fardado de coronel, só o representante da organização internacional dos jogos.

Inquilinos do poder
Bastou o governador Agnelo Queiroz (DF) avisar que vai descadastrar todos os candidatos à casa própria, no entorno da capital federal, que invadirem áreas públicas: os movimentos profissionais do setor de invasões mudaram de endereço. Invadiram o Ministério das Cidades.

Coldre na gaveta
Trinta e três delegados da Polícia Civil de Minas Gerais estão afastados das funções por determinação médica. A situação mais grave é de Betim,  Região Metropolitana de BH, onde cinco estão de licença e um de férias.

Os indignados
Teresópolis (RJ) protesta de novo hoje às 18h, contra suposta fraude com a verba da enchente que arrasou o município. Os protestos anteriores acabaram em CPI para o prefeito petista Jorge Mário.

Outra do Pagot
O diligente Luiz Pagot é um profeta do caos: insistiu na Câmara dos Deputados, em 2008, que a fiscalização de obras deveria mudar para “evitar paralisações”. O embrião do “regime diferenciado” da Copa.

Alô, 190
Será que o governador Sérgio Cabral vai apresentar as novas viaturas cariocas no Champs Élysées?

PODER SEM PUDOR
Pastelão mineiro
Muito alto, o senador Wellignton Salgado (PMDB-MG) tentou fazer graça ao reclamar da altura dos microfones do plenário no Senado, que estariam, digamos, atrapalhando sua performance.
– Minas não se curva!
Tião Viana (PT-AC), que presidia a sessão, informou secamente:
– O microfone alcança 50 centímetros acima, senador.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation