Política nacional 26/07/2011

“A narração dos fatos mostra-se deficiente”.

Advocacia do Senado, ao inocentar Requião (PMDB-PR), que tomou gravador de repórter.

No Fundo Refer, PR não descarrila
O Palácio do Planalto está de olho também na direção do Refer, o fundo dos metroviários e ferroviários do país, com saldo bilionário. A direção é apadrinhada pelo trio mandatário do PR, o senador Alfredo Nascimento (AM), e os deputados Valdemar Costa Neto (SP) e Luciano Castro (RR). São eles quem determinam ao diretor do fundo, Marco André Marques Ferreira, em quais bancos as aplicações financeiras devem ocorrer.

Saldo nos trilhos
Com R$ 2,9 bilhões, o fundo cresce principalmente por “rendimentos auferidos com a aplicação nos mercados financeiro e imobiliário”.

Vagão lotado
O Fundo Refer tem oito grandes empresas associadas, entre eles o cariocas CBTU e Metrô, a paulista CPTM e a cea-rense MetroFor. 

Fora da rota
A extinta RFFSA está em inventariança desde 1999. Trens e sedes foram privatizados, mas o passivo ficou com a Viúva, ou melhor, a Valec.

Extrato
Se o PR não entrar nos trilhos da moralidade, correm risco os 34.644 trabalhadores das oito associadas, entre ativos e aposentados.

Antaq desafia
O “rodo” da presidenta Dilma nos Transportes não intimida Fernando Fialho, diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), que ignora o Planalto e apoia o plano de privatização branca dos portos. Fialho é acusado em dois processos no TCU de fechar os olhos para que empresas influentes, como a Odebrecht, privatizem a atividade portuária no Brasil. Sem licitação, sem pedir licença ao governo.

Na marra
A omissão da Antaq favorece a privatização branca dos portos em Santa Catarina (Portonave e Itabapoã) e na Bahia.

 Se colar, colou
Diante da atitude suspeita da Antaq, o porto privativo da Odebrecht continua sendo construído em Santos, no litoral paulista.

 Denúncias
O TCU examina denúncias graves da Federação dos Portuários e do Sindopsa, o Sindicato dos Operadores Portuários de Salvador. 

Kassab fecha
A bordo de um jatinho, o prefeito paulistano Gilberto Kassab, fundador do PSD, desceu no Recife quarta passada para jantar com o governador Eduardo Campos, presidente do PSB. Fecharam apoio recíproco em Pernambuco e São Paulo para as eleições do ano que vem.

Equador-Brasil
Rafael Correa mandou para o Brasil o seu braço direito, o Coor-denador de Assuntos Estratégicos do Equador, Jorge Glas. Ele fica uma semana para contatos com políticos e empresários com laços no país vizinho.

Faxina adiada
O Palácio do Planalto suspendeu a licitação de R$ 878,8 mil para polimento do piso dos seus quatro andares. Com esse olho grande dos “aliados”, vai que a presidenta Dilma Rousseff se estatela no chão…

Filho importado
O casal Toni Reis e David Harrad entrou na fila para adoção no Paraná. Mas uma ciumeira da toga pode atrapalhar a dupla. Ignorando o judiciário paranaense, uma juíza do Rio ofereceu uma criança.

Guerra da fumaça
A Souza Cruz obteve liminar na Justiça do Rio contra a Tabacalera del Este (Tabesa). Líder de mercado no Paraguai, ela comercializa cigarros ilegalmente no Brasil e sonega impostos. A Tabesa terá de pagar R$ 50 mil a cada apreensão de cigarros da marca em território nacional.

Cadeira de ouro
O ministro dos Esportes, Orlando Silva, margeia o alambrado das suspeitas: confirmou em R$ 10 mil o custo de cadeira construída nos estádios para a Copa. Atribuiu o aumento à “economia aquecida”. 

Anedotário do poder
Numa reunião no Palácio do Planalto para escolher os 17 substitutos da quadrilha nos Transportes, alguém citou ser preciso uma Lanterna de Diógenes. Ao que um aspone, acredite, se ofereceu para achar uma.  

Tô fora
Com tantos atrás de medalhas, o governador Cid Gomes (PBS-CE), recusou a do Mérito Militar: avisou que tinha compromisso “mais importante”, deixando as autoridades a ver navios no QG em Fortaleza.

Pensando bem…
…falta Chávez combinar com o câncer seu projeto de poder até 2031.

PODER SEM PUDOR
Presente adequado
Frequentador das celas da Polícia Federal tempos atrás, não é de hoje que o agora deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) é alvo dos opositores. Certa vez um repórter provocou Tancredo Neves, mencionando seu adversário na “campanha” pela eleição indireta de 1984:
– Hoje é aniversário do Maluf. O que o senhor vai dar de presente a ele?
Tancredo respondeu sem hesitar:
– Um exemplar do Código Penal…

Assuntos desta notícia


Join the Conversation