Política nacional 30/07/2011

“Minha mulher diz: mudar de marido é mudar de defeito”.

Deputado federal Paulo Maluf (PP-SP), casado há 56 anos.

Desvio de prefeitura leva servidores ao SPC
Oprefeito da pequena Caaporã (PB) complicou a vida dos servidores do município. Ele fechou parceria com o Banco Gerador em junho de 2009 para empréstimo consignado, mas o valor dos descontos nos contra-cheques não chegou ao banco. O Ministério Público estadual foi acionado e investiga o sumiço de R$ 500 mil. Dezenas de empregados tiveram os nomes incluídos no Serviço de Proteção ao Crédito.

Corra que a polícia vem aí
Com o MP na cola, a Prefeitura de Caaporã fechou um acordo com o Banco Gerador para pagar a dívida semana que vem.

Quem? Onde?
O prefeito João Batista Soares não foi localizado. Enquanto isso, o nome dos servidores continua sujo na praça. E os descontos seguem.

Ainda bem
Para sorte de outros servidores, Soares desistiu em 2009 de concorrer à presidência da Federação das Associações de Municípios da Paraíba.

No lugar certo
Se nome é destino, Dilma acertou nomeando um Masella para a secretaria-executiva do Dnit, afastando um Fatureto da coordenação.

Ellen Gracie confirma a aposentadoria
Conforme a coluna publicou em primeira mão dia 6 de junho, a ministra Ellen Gracie deixará o Supremo Tribunal Federal. Sua aposentadoria será oficializada dia 8 de agosto. A ministra tem 63 anos e poderia ficar na corte até 2018. Recentemente, Ellen comprou um apartamento no Flamengo, no Rio de Janeiro. Sua substituta deve ser Neuza Maria Alves da Silva, desembargadora do TRF da 1ª Região (Brasília).

We have bananas
O Brasil vai mandar 30 mil estudantes para graduação no exterior. Deverão falar javanês: no Chile, o inglês é a segunda língua na escola.

Mãos à obra
O governo do DF assinou a liberação pelo Banco de Brasília de R$ 500 milhões destinados a financiamento de pequenas empreiteiras. 

Quartel-general
O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, gosta de ordem unida: tem 29 coronéis comandando as subprefeituras da capital paulista.

Mobilização contra shopping
Indignados com a liberação de construção de um shopping no Parque Olhos D´Água, na Asa Norte, em Brasília, onde existe uma nascente de rio, centenas de moradores fazem protesto amanhã às 11h no local. O parque tem 21 hectares, com pista de Cooper e trilhas no cerrado.

A banca do distinto
O Banco Pactual, que bancará palestras de Lula em outubro no luxuoso hotel Waldorf Astoria, em Nova York – como antecipou a coluna – ‘esquece’ de remunerar pequenos aplicadores do Fundo BTG. Só preju.

Eterno retorno
Citado em 26 processos no Tribunal de Contas da União, o novo secretário-executivo do DNIT, Miguel Masella, já teve que se explicar no início dos anos 1990 sobre irregularidades na finada Lloydbrás.

Mais uma
A América Latina tem mais uma anta: Ollanta Humala tomou posse na presidência do Peru, na quinta (29), já comprando briga com os dois vices por não reconhecer a Constituição de 1993.

Ele é quem manda
Foi o atual chefe de Solange Viera (ex-ANAC), o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, quem sacou do bolso do colete o nome de Wagner Bittencourt para ministro da Secretaria de Aviação Civil. Ele ligou para a presidenta Dilma Rousseff, que aceitou a indicação.

Profissão de morte
A Unesco condenou ontem o assassinato de uma jornalista mexicana e do brasileiro Auro Ida, de Mato Grosso, fundador do Midia News e vítima de suposto crime passional há uma semana, em Cuiabá.

Oposição não descansa
A oposição mantém a esperança de aprovar a CPI do DNIT. Se ninguém desistir, faltam poucas assinaturas para a instalação. A ordem da ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) à base é abafar o caso.

Fé no contra-ataque
As bancadas evangélicas em Brasília se movimentam para reverter politicamente a decisão do TJ do Distrito Federal que concedeu liminar derrubando a Marcha para Jesus do calendário oficial de eventos.

Quem indica
Dilma não quer mais PR nos currículos do Dnit. Agora só QI.

PODER SEM PUDOR
Venerando salafrário
Ex-presidente da OAB, Reginaldo de Castro disse certa vez, na XXI Conferência de Advogados, que o Judiciário ainda se julga herdeiro da monarquia, usando tratamentos como “Excelso Pretório” (alto, sublime), “excelentíssimo”, “meritíssimo” etc. Sua frase lapidar arrancou aplausos:
– Às vezes o venerando acórdão é proferido por um salafrário e nós temos de chamar de “venerando acórdão”.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation