Avançar mais

É verdade quando se diz que a Expoacre é uma vitrine do que o Acre produz. Nos diversos estandes pode-se ver uma série de experiências bem sucedidas indicando os rumos que o Estado deve seguir em sua economia. Contudo, chegou a hora de avançar mais, de produzir em escala para que não sejam apenas “amostras grátis”.

Com exceção da pecuária, que alcançou níveis de excelência, o que se observa nos demais setores é que tudo ainda está muito incipiente e insuficiente até mesmo para atender o mercado interno.

É que se observa nos diversos ramos da indústria de transformação, na agroindústria, nos produtos agroflorestais. O setor moveleiro, por exemplo, já apresenta bons produtos acabados, mas levando-se em consideração o potencial do Estado, pode e deve desenvolver-se muito mais.

É o que se espera a partir de agora com esses dois projetos que o Governo está lançando: o da criação de peixes e de ovelhas. Que não sejam apenas mais um modismo, uma “amostra grátis”, mas que venham a se constituir em uma alternativa capaz de revolucionar a economia do Estado.  

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation