Corrupção e impunidade

 *Luiz Carlos Amorim

 Torna-se cada vez mais difícil educar nossos filhos, pequenos e adolescentes, diante da corrupção, irresponsabilidade e falta de vergonha na cara daqueles que deveriam dar exemplo de retidão e correção neste país. Como esperar que os jovens de hoje se tornem adultos dignos e honestos com a falta de ética e de moral grassando por todos os lados, começando pelos detentores do poder, as autoridades que comandam os destinos e o futuro de nossa gente e de nossa terra.  

 Não é à toa que grandes jornais de outros países estão publicando reportagens a respeito, tão visível são os absurdos. Foi o caso, na semana passada, de um jornal espanhol, dando conta da corrupção em nosso país, com o título: “Por que os brasileiros não reagem à corrupção de seus políticos?”. A matéria é superficial, mas a pergunta vem muito a propósito para nós, brasileiros, que aceitamos, calados, a tudo. Quando vamos nos levantar contra esse estado de coisas insustentável?

 É um escândalo atrás do outro. Só para citar exemplos mais recentes, pois são tantos, temos o caso do Paloci, que saiu do governo e não se falou mais a respeito, o enriquecimento relâmpago ficou por isso mesmo e tudo bem; em seguidinha outro ministro, o dos transportes, teve que sair, pelos mesmos motivos e mais alguns, só que este perdeu o cargo mas voltou para a “política”. E ninguém nunca devolve nada, não vai preso, ninguém é penalizado, não é uma beleza?

 A lei da Ficha Limpa virou piada, pois a justiça – grande justiça, a nossa – determinou que ela não valeu para as últimas eleições e os fichas sujas que estavam impedidos, voltaram lépidos e fagueiros, tomando posse nos seus cargos, para continuarem a saga de corrupção e impunidade.

 Tudo está falido neste nosso Brasil: educação, saúde, segurança, até a justiça. E ninguém faz nada. Os nossos “representantes” no poder, aqueles que deveriam nos defender, legislam em causa própria, gastando o dinheiro público em próprio benefício e aumentando a escalada da corrupção. Aliás, eles enveredam pela “política”, a grande maioria deles, para ficarem ricos. 

 Faz tempo que a credibilidade que o Congresso poderia ter junto ao povo, os eleitores, seus representados, foi pro espaço. Esse é o Brasil que queremos, onde a corrupção e a impunidade são lugar comum? Precisamos começar a fazer alguma coisa, precisamos protestar, exigir que usem o dinheiro público que é composto da quantidade enorme de impostos que pagamos, em benefício do cidadão brasileiro e não contra ele.

 Há muito mais, infelizmente, mas só isso já seria demais para manter o equilíbrio entre o bem o mal, entre o certo e o errado. E a corrupção e a impunidade ainda trazem, atreladas a elas, a violência. Violência que se dissemina dia a dia, em todas as áreas, banalizando-a cada vez mais. É esse o futuro que queremos para nossas crianças?

Sobre o autor: Luiz Carlos Amorim é Coordenador do Grupo Literário A ILHA em SC, com 30 anos de atividades e editor das Edições A ILHA, que publicam as revistas Suplemento LIterário A ILHA e Mirandum (Confraria de Quintana), além de mais de 50 livros. Editor de conteúdo do portal PROSA, POESIA & CIA. e autor de 26 livros de crônicas, contos e poemas, três deles publicados no exterior. Colaborador de revistas e jornais no Brasil e exterior – tem trabalhos publicados na Índia, Rússia, Grécia, Estados Unidos, Portugal, Espanha, Cuba, Argentina, Uruguai, Inglaterra, Espanha, Itália, Cabo Verde e outros, e obras traduzidas para o inglês, espanhol, bengalês, grego, russo, italiano -, além de colaborar com vários portais de informação e cultura na Internet, como Rio Total, Telescópio, Cronópios, Alla de Cuervo, Usina de Letras, etc.
O autor assina, também,  o Blog CRONICA DO DIA, em Http://luizcarlosamorim.blogspot.com
 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation