ANP nega a existência de esquema de propina

A ANP (Agência Nacional de Petróleo) contestou no domingo (24) a existência de um esquema de cobrança de propinas dentro do órgão. A denúncia de corrupção foi tema da reportagem de capa da revista “Época” no final de semana.

Segundo a revista, a advogada Vanusa Sampaio, que representa companhias do ramo, foi procurada por dois assessores da ANP em 2008.
Antonio José Moreira e Daniel Carvalho de Lima disseram falar em nome do então superintendente Edson Silva, ex-deputado federal pelo PC do B, e explicaram que cobravam propina em troca de facilidades na agência.

Em nota, a ANP rejeitou as acusações, que classificou como “falsidades”.

Segundo a agência, Moreira e Carvalho nunca foram do quadro de servidores permanentes da ANP –o primeiro é servidor da Procuradoria da Fazenda Federal e foi destacado para o acompanhamento de processos na agência, e o segundo era estagiário.
Segundo a ANP, os dois estão fora da agência há mais de 2 anos.

A nota afirma ainda que Edson Silva nega ter autorizado qualquer pessoa a falar em seu nome para cobrar propina.

A ANP negou também que haja aparelhamento político na agência. (Folha.com)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation