DNIT e ANTAQ se comprometem em resolver problemas da balsa do Abunã

Após duas reuniões, encabeçadas pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Rondônia (Fecomércio-RO), o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) assumiram a responsabilidade de solucionar o problema da travessia da balsa sobre o rio Madeira, no distrito de Abunã, há 300 quilômetros de Porto Velho.
Balsa
Com a seca amazônica, a travessia de cargas e pessoas para a Ponta do Abunã e o Estado do Acre fica prejudicada, causando sérios transtornos para o setor empresarial.

O Dnit e a Antq encaminharam ao Ministério dos Transportes e a Administração das Hidrovias da Amazônia Ocidental (Ahimoc), um pedido a fim de que seja conduzida, de Humaitá para Porto Velho, um equipamento para dragagem imediata do rio, no trecho que liga Porto Velho a Rio Branco. A medida é preventiva até que o Governo Federal decida pela construção de uma ponte. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Marinha do Brasil afirmaram que vão auxiliar na segurança e transporte da draga.

O Problema – O presidente da Fecomércio, Raniery Coelho, apostou numa solução antes que ocorra o mesmo problema de 2010. “Temos que acabar com esse impasse.

Os comerciantes e a população acreana não podem ficar ainda mais prejudicados com a falta de abastecimento de mercadorias necessárias ao uso diário” disse o presidente. De acordo com Raniery Coelho, além de os caminhoneiros terem que enfrentar filas quilométricas e demorar mais de 12h pra atravessar o rio, corre o risco de ficarem presos nos bancos de areia e perderem as mercadorias.

Durante o verão amazônico, com a intensidade da seca, formam-se bancos de areia nos pontos de travessia das balsas, prejudicando a passagem de mercadorias, como alimentos perecíveis e combustíveis, destinados ao abastecimento de todo o Estado do Acre. Ademais, a rota é a principal estrada de ligação para o Oceano Pacífico. No ano passado, os prejuízos somados ultrapassaram os R$ 30 milhões.

Participaram da reunião os representantes da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Militar (PM), Federação das Indústrias do Estado de Rondônia (Fiero), Delegacia Fluvial, Federação das Associações Comerciais do Acre, Câmara de Dirigentes Lojistas e do Grupo Simões. O IBAMA e o MPF não compareceram encaminharam nenhum representante. (Assessoria)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation