Mais de 700 pessoas deram entrada no PS com problemas respiratórios

Mesmo com a redução significativa no número de queimadas, a população rio-branquense começa a voltar aos hospitais para se curar do mesmo mal que a atacou na mesma época no ano passado: problemas respiratórios por causa das queimadas e da baixa umidade do ar. Além de intoxicar os pulmões das pessoas, principalmente de crianças e idosos, o período de estiagem deixa as cidades cinzentas, com fuligem caindo sobre as cabeças das pessoas. Somente no mês de julho, mais de 700 deram entrada no Pronto-Socorro com problemas respiratórios.
HUERB
Embora já seja um número considerado alto, a tendência é as unidades receberem um número cada vez maior de pacientes em busca de atendimento médico para as doenças provocadas pela intoxicação dos pulmões. As queimadas nos estados amazônicos são provocadas por agricultores e pecuaristas, que nesta época do ano usam fogo para limpar o campo e queimam a mata para aumentar a plantação e os pastos. O fogo na floresta, além de destruir a biodiversidade, também alcança muitas vezes as cidades da região, causando muita destruição, doença e irritação em todos os seus habitantes.

 Segundo a gerente do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb), Eliadia Prudêncio, a demanda de pacientes com problemas respirató-rios aumentou nos últimos 15 dias.  “São pacientes de todas as idades, com problemas de asma, doenças alérgicas e principalmente sofrendo com bronquites e sintomas de enfisema pulmonar”, informou ela, acrescentando que uma média de 180 pessoas procura a unidade semanalmente.

A recomendação é para quem já possui asma, bronquite ou outra deficiência respiratória que fique atento e se previna. “As pessoas que já sofrem com esses problemas devem se prevenir tomando a medicação adequada. Outro cuidado que se deve ter é não se expor nos horários que as nuvens de fumaça estão mais intensas”, alertou Eliadia. De acordo com ela, existe uma preocupação de que o número de casos de pessoas com doenças respiratórias aumente neste mês de setembro, tendo em vista que muitos produtores aproveitam a época para ampliar seus pastos.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation