Traficante do Peru engana a Justiça do Acre e sai do presídio com alvará em mãos

O peruano Eloi Mamani Arampa conseguiu enganar a Justiça do Acre. Ele havia sido preso pela Polícia Federal durante a ‘Operação Conexão Amazônia’, que desmontou uma quadrilha de narcotraficantes, em junho do ano passado.

Na ocasião, Eloi prestou depoimento e foi condenado com o nome falso de ‘Carlos Jesus Venâncio Portura’, pelos crimes de tráfico internacional de drogas, formação de quadrilha e roubo de cargas. Ele foi condenado a 38 anos de reclusão, em regime fechado. Só que Eloi já havia sido condenado por outro crime, com o nome verdadeiro. Por tal crime, ele tinha o direito de ser beneficiado pela progressão de pena e foi exatamente o que aconteceu.

Eloi Mamani recebeu o beneficio da progressão de pena, como ‘Jesus Carlos’, mas na verdade ‘Jesus’ e ‘Eloi’ são a mesma pessoa. Aproveitando o fato de a Justiça não ter percebido esse detalhe, o narcotraficante recebeu o alvará de soltura como ‘Carlos Jesus’ e saiu do presídio pela porta da frente.

A direção do complexo prisional só descobriu o erro ontem, 18, mas Eloi – ou ‘Carlos Jesus’ – já estava bem longe, em local desconhecido. Pelo crime de narcotráfico, ele teria de cumprir 38 anos de prisão, mas respondia a 2 processos distintos com nomes diferentes, mesmo sendo a mesma pessoa.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation