Gazetinhas 03/08/2011

* “Friagem” das boas, com chuva.

* A chamada “chuva da rama”, para segurar as flores das mangueiras e cajueiros.

* Segundo os mapas do Friale, a temperatura deve ainda continuar baixa à noite e amena durante o dia hoje e amanhã.

* Aliás, em agosto devem vir ainda várias “friagens”.

* Na política, os analistas políticos apostavam mais estridência na sessão de abertura da Assembléia Legislativa.

* Talvez, pelo efeito da “friagem”, até que foi bastante comportada.

* Um dos assuntos, como se esperava, foi o endividamento do Estado, sobre o qual é preciso jogar um pouco mais de luz.

* A oposição deve sim fiscalizar e cobrar a aplicação desses recursos; é sua atribuição.

* Pecaria por omissão se não fiscalizasse e cobrasse.

* O que não pode ignorar é que esses empréstimos são necessários para o desenvolvimento do Estado.

* Se o Estado tem capacidade de endividamento, tem credi-bilidade juntos aos bancos, pode pagar…

* …tem mais é que aproveitar dessas linhas de financiamentos e quitá-los com o resultado da produção.

* Nenhum estado ou município – nem São Paulo – se desenvolve só com os repasses do FPE e FPM.

* É uma mer-reca.

* Recorde-se que até há alguns anos o Brasil devia as calças e as cuecas para o FMI.

* Deu um salto em seu desenvolvimento e hoje poderia até emprestar.

* Como já é o quinto maior credor dos Estados Unidos.

* Do que se deve ter medo mesmo é da miséria, do empreguismo público.

* Dindim está brabo. Dindim é o prefeito de Feijó.

* É que está chegando o Festival do Açaí, Dindim quer dindim do Governo…

* …e o Governo já disse que não vai financiar show de cantor caro, como Alexandre Pires, e Dindim está até ameaçando fechar a BR-364.

* Eu me divirto.

* E esse húngaro, heim, que vinha do Peru com as roupas engomadas de cocaína?

* Tão esperto, de Budapeste, acabou ‘caindo’ em Assis Brasil.

* É cada um, é cada uma!

* Passageiros da GOL que saíram anteontem do Rio com destino a Rio Branco, escala em Brasília, viveram uma aventura.

* Ao sobrevoarem Rio Branco, o tempo fechou com a chegada da “friagem” e voaram para Cruzeiro do Sul.

* De lá deveriam voltar às 2h40 da madrugada, mas Rio Branco continuava sem teto e foram para Manaus, de onde só chegaram ontem à noite.

* Somando as horas, teriam ido à Europa ou aos EUA, com folga.

* O Acre é longe

* Menos mal que em Manaus puderam usufruir das mordomias do Tropical.

* Hoje tem Brasileirão e é preciso parar “aquele time”.

* Seus torcedores estão insuportáveis.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation