Política nacional 05/08/2011

“Sou defensor número um da CPI do DNIT”.

Luiz Antonio Pagot, ex-diretor-geral do DNIT, contando lorota.

Defesa: Lula atropela Crivella e emplaca Amorim
Osenador Marcelo Crivella (PRB-RJ) era forte alternativa para o lugar do ex-ministro Nelson Jobim (Defesa), depois que o vice Michel Temer mandou dizer que não gostaria de ser convidado para o cargo, mas no final da tarde o ex-presidente Lula conveceu a atual, Dilma, a nomear o ex-ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, argumentando que, como os militares, ele integra ‘carreira de Estado’.

Regra três
O ex-chanceler Celso Amorim não se habituou à vida de aposentado, e atuava como assessor informal de Lula em sua ONG.

Discrição
Ao emplacar Celso Amorim, Lula lembrou a Dilma que o diplomata jamais a colocaria em saia justa, como Jobim cansou de fazer.

Ellen foi cotada
Dilma chegou a pensar em Ellen Gracie para o lugar de Jobim, mas o projeto da ministra do STF é morar no exterior.

Olho em Haia
Ellen Gracie fez chegar a Dilma o desejo de substituir a juíza brasileira Sylvia Helena Steiner no Tribunal Penal Internacional, em Haia.

Jobim não votou em Temer
A situação de Nelson Jobim é tão insustentável no governo quanto no PMDB: segundo importante senador, ao revelar que não votou em Dilma, confessou que também não votou no vice Michel Temer, presidente do próprio partido. No jantar com a cúpula do PMDB, terça, Jobim tentou justificar suas atitudes como uma “reação” aos cortes que obrigam as Forças Armadas a desligar recrutas antes do tempo.

Oferecido
Assim que soube da situação insustentável de Nelson Jobim, o ministro Aloizio Mercadante se ofereceu para o cargo. Dilma deu uma risada.

Gordinha
A dúvida que permeou o Congresso era quem apanharia mais: Jobim de Dilma ou Sarney de Ideli Salvatti, por tê-la chamado de “gordinha”.

Pergunta no divã
Ao qualificar a colega de ministério Ideli Salvatti de “fraquinha”, Nelson Jobim quis dizer “idiota”?

Fora de área
Nelson Jobim, que faz criticas em público e pede desculpas em particular, ligou à ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) para se explicar. Ela desligou o celular sem pronunciar uma única palavra.

Quase ministro
As Forças Armadas foram consultadas sobre alternativas para assumir o Ministério da Defesa: apesar do bom trânsito do deputado Aldo Rebelo (SP) no meio militar, pesou sua filiação ao PCdoB.

Pior que o soneto
Te cuida, Mark Twain: imortal da Academia, o senador José Sarney revelou ontem uma veia satírica, chamando Idelo Salvatti de “bem gordinha”, contrapondo o “fraquinha” que Nelson Jobim lhe atribuiu.

BB na Justiça
O Banco do Brasil responde a ação popular que questiona a milionária licitação para agências de propaganda. Venceram a Giacometti, apadrinhada por Lula; Lew Lara, ligada ao ex-ministro Luiz Gushiken; e Master, a favorita dos ministros Paulo Bernardo e Gleisi Hoffmann.

Mais um
Representantes do ditador Muammar Kadhafi chegam a Brasília, nos próximos dias, para pedir apoio à proposta do lunático de interromper os bombardeios da Otan em troca de “eleições livres na Líbia”.

DNA
Quem sai aos seus não degenera: deve ter sido problema hereditário o fato de o senador Reditario Cassol (PP-RO), pai do ex-governador Ivo Cassol, ter retirado a assinatura da CPI dos Transportes.

Não deu outra
A incansável João Palestino Eventos, amiga de vários próceres do PR, ganhou de novo a organização da parada de Sete de Setembro, em Brasília. Desta vez por R$ 899 mil. O Exército fazia de graça.

Contribuinte trouxa
No Detran/DF, ontem, a poucos metros do gabinete do governador, funcionários berravam que o atendimento ao público demoraria mais uma hora, porque “o sistema está fora do ar”. Enquanto isso, jogavam ou viam emails na internet, esta sim, funcionando perfeitamente.

Pensando bem…
…Nelson Jobim é caso típico de sujeito que perde o emprego, mas não perde a piada.

PODER SEM PUDOR
Bananas para os céus
Em campanha para presidente, no ano de 1950, o brigadeiro Eduardo Gomes (UDN) mandou avisar que sobrevoaria Maceió em vôo rasante, a bordo do DC-3 que utilizada em suas viagens. Silvestre Péricles (PSD), governador populista-maluco de Alagoas, saiu à sacada do Palácio dos Martírios e iniciou uma série espetacular de bananas para o alto, em “saudação” ao adversário. A certa altura, avisado por um assessor que sua mãe o chamava, ele passou a tarefa ao funcionário:
– Meu filho, fique aqui dando bananas enquanto vou ver o que ela quer.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation