Política nacional 06/08/2011

“Não precisamos convidar Jobim. Se ele quiser, o partido é dele”.

Sérgio Guerra, deputado federal e presidente do PSDB.

Jobim preparou a saída, e de modo barulhento
Já não há perplexidade, no Palácio do Planalto, pela atitude do ex-ministro da Defesa Nelson Jobim provocando a própria demissão. O governo concluiu que ele preparou tudo detalhadamente, da bajulação a FHC às declarações ridicularizando colegas, além da revelação de que votara no tucano José Serra. Jobim decidiu agir assim após a presidenta Dilma adiar a compra dos aviões de combate para a FAB. Ele se viu impossibilitado de entregar o que prometera aos franceses.

À francesa
Nelson Jobim defendia a opção pelos caças franceses Rafale, da Dassault, e os submarinos Scorpène.

Au revoir
Ao contrario de Dilma, os franceses não foram surpreendidos. Jobim esteve em Paris entre 4 a 10 de julho para se despedir dos amigos.

Velho projeto
Saindo sob intenso barulho, Jobim pretenderia se transformar em opção a Dilma, retomando o velho sonho de disputar a presidência.

Ecos do poder
Do senador Aloysio Nunes (PSDB/SP), a aliados: “Jobim não deveria ter falado mal da Ideli. Mas que ela é fraquinha, é!”

Comandantes
Oficiais superiores pressionaram os comandantes militares a saírem do governo com o ex-ministro da Defesa Nelson Jobim. Informada disso, a presidenta Dilma agiu rápido e ontem cedo chamou os comandantes das três forças para informar que nada mudaria, exceto a figura do ministro, e pediu que continuassem. Dilma fez mais: ligou para Celso Amorim e ordenou que se reunisse com os comandantes neste sábado.

Militante da democracia
Não é de hoje que Nelson Jobim dissimula suas intenções. Disse certa vez, quando ministro do STF: “Mentir faz parte do jogo democrático”.

Aqui, não
Potencial candidato do PSDB em 2014, Aécio Neves se apressou a revelar a amigos que não tem pretensão de ter Jobim como vice.

Napoleão de hospício
Tamanho não é documento, mas para o leitor Mario Borges, de Goiânia, se Jobim usava uniforme, Amorim se vestirá de escoteiro.

Supersincero
A avaliação – “indelicada”, para Dilma – que Jobim fez de colegas como Ideli Salvatti (“é fraquinha…”) lembrou o personagem de “O Supersincero”, vivido pelo ator Luiz Fernando Guimarães no Fantástico.

Figura manjada
Assim como os militares, a comunidade judaica brasileira recebeu muito mal a indicação de Celso Amorim. Ninguém esquece a bajulação dele a tiranos como Mahmud Ahmadinejad, do Irã, que jurou “destruir Israel”, e a organizações palestinas consideradas terroristas.

Baita currículo
Amigo de Nelson Jobim há muitos anos, o ex-deputado e ministro aposentado do STM Flavio Bierrenbach destaca que poucos brasileiros têm o currículo invejável do ex-ministro da Defesa.

Fora do barco
Um velho amigo de Nelson Jobim na Universidade Federal do Rio Grande do Sul nos anos 1960 duvida que o ex-ministro tenha “extrapolado” sem querer. O conhecido “temperamento forte” foi aliado num projeto traçado “com inteligência”: sair “antes que o barco afunde”.

Quentinha no alambrado
Entusiasta do futuro Estádio Nacional como sede da abertura da Copa de 2014, o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), apareceu de surpresa no canteiro ontem e almoçou com os operários.

Blogue-se
A estatal Itaipu Binacional é uma das patrocinadoras do 1º Encontro Internacional de Blogueiros, em outubro, em Foz do Iguaçu (PR). A célebre dissidente Yoani Sánchez não virá, claro. Só outro Sánchez, o Iroél, um dos responsáveis pela censura a blogueiros, em Cuba.

Turma da lupa
O movimento Reage Brasília contra a Corrupção fará manifestação dia 23, na praça do Palácio Buriti, da Câmara Distrital e do TJ/DF, para cobrar a punição dos mensaleiros do governo José Roberto Arruda.

Odorico’ Santana
O prefeito de Sucupira do Norte (MA) não é novela, mas é seguido de perto pelo Ministério Público: Benedito Santana teria desviado R$ 239,3 mil da Saúde do Estado. O “astro” poderá ter que devolver R$ 1 milhão.

Pensando bem…
…sai o “micomandante”, entra o “micromandante”.

PODER SEM PUDOR
Ateu, graças a Deus
Quando se vê no aperto, o deputado Aldo Rebelo (PCdoB/SP), materialista convicto, recorre a Deus. Foi assim quando rezou a bordo de um jatinho em pane em pleno vôo, com o senador Renan Calheiros e o deputado Eunício Oliveira (PMDB/CE) como testemunhas. Quinta (6), quando Inocêncio Oliveira (PL/PE) e Arlindo Chinaglia (PT/SP) ameaçavam trocar sopapos, ouviu-se a voz conciliadora do presidente da Câmara, ao microfone:
– Pelo amor de Deus, senhores, parem com isso!…

Assuntos desta notícia


Join the Conversation