Política nacional 10/08/2011

“Sabe que esqueci e vim almoçar em casa?”.

Lincoln Portela (MG), líder do PR, após faltar a almoço com a liderança do governo.

Preso pela PF despachava na liderança do PMDB
Preso ontem pela Operação Voucher, da Polícia Federal, o secretário-executivo do Ministério do Turismo, Frederico Sil-
 va da Costa, despachava ao menos três vezes por semana, no final da tarde, com Francisco Bruzzi, espécie de eminência parda da liderança do PMDB na Câmara. As relações entre os dois estão sob investigação da PF, que pode estabelecer ligação do PMDB com as irregularidades.

Monitoramento
O PMDB alega que Bruzzi verifica as ações dos ministérios controlados pelo partido, daí os despachos com Frederico Costa. Ah, bom.

Não foi ele
Só quem ignora os bastidores do poder em Brasília acredita que o ministro Pedro Novais (Turismo) foi indicado pelo senador José Sarney.

Digitais
A indicação de Pedro Novais foi idéia do deputado Henrique Alves (RN), líder do PMDB, e principalmente de Eduardo Cunha (RJ).

Pensando bem…
…a gestão do ministro Pedro Novaes lembra o caso de Ronaldo com os travestis na Barra da Tijuca. Começou no motel e acabou na delegacia.

Lobista enrolado
Pivô da queda de Milton Ortolan, secretário-executivo do Ministério da Agricultura, o lobista Júlio César Fróes Fialho tinha um curioso método no seu Instituto Antares de Ensino Superior para qualificar servidores: a “dinâmica do barbante”, entrelaçando alunos para mostrar que “um depende do outro”. Se um afrouxa ou estica… Semana passada, ele “esticou o barbante”: agrediu o repórter Rodrigo Rangel, de Veja.

Tacadas antigas
Golfista e jornalista, o lobista valentão também deu aulas sobre “ética e política”, e por onze anos foi redator da mesa diretora do Senado.

Chá de sumiço
O Instituto Antares, do lobista Júlio Fróes, deixou de existir da noite para o dia, na internet. Seu site iaespe.com.br está “em manutenção”.

Espelho meu
As maracutaias no Ministério do Turismo com emendas parlamentares foram reveladas primeiro nesta coluna, em dezembro de 2009.

Pedra preciosa
O Planalto monitora com lupa o acordo lapidado, na moita, pelas mineradoras Vale e OGX para pagar apenas 15% do que devem ao governo. Só a dívida do grupo de Eike Batista somaria R$ 50 bilhões.
Longe da PF
A Operação Voucher fez lembrar por que ministros sob suspeita só anunciam investigação da Controladoria Geral da União: é que chamar a Polícia Federal pode representar chave de cadeia.

Jogo bruto
Partidos não petistas que apóiam o governo Dilma estão convencidos de que o PT está por trás da sequência de denúncias contra ministros e auxiliares do PR, PP e PMDB. O clima é de guerra. Hoje, qualquer proposta de CPI contra malfeitorias petistas seria aprovada incontinenti.

Sede de vingança
O ex-ministro dos Transportes Alfredo Nascimento, presidente do PR, que saiu do governo pela porta dos fundos, já não esconde a ameaça: os sete senadores do seu partido assinarão qualquer proposta de CPI.

Nova promessa
Dilma vai anunciar um plano para construir mais 120 escolas técnicas federais em todo o país. O plano encobre uma meta não alcançada pelo antecessor. Lula prometeu 200 escolas, mas só entregou 82.

O homem certo
Promotor experiente, Pedro Taques (PDT-MT) assumirá a presidência da subcomissão de Segurança Pública do Senado. Vai organizar e sistematizar projetos da área na Comissão de Constituição e Justiça.

Boa nova olímpica
As Olimpíadas de 2016 não ficarão restritas ao Rio de Janeiro. Quatro capitais vão receber os jogos eliminatórios antes da cerimônia de abertura: Brasília, Salvador, São Paulo e Belo Horizonte.

Abatido em pleno ar
Auditoria interna da TAM defenestrou o influente Paulo Castelo Branco, vice-presidente da empresa e amigo do peito do pre-sidente da Agencia Nacional de Avia-ção Civil, Marcelo Guaranys.

Sassaricando…
O ministro Pedro Novais (Turismo) deve ter sido poupado pela Polícia Federal em respeito ao Estatuto do Idoso.

PODER SEM PUDOR
Líder peso pesado
Velhos amigos do líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (PT/SP), sempre se divertem recordando inesquecível feriadão em uma fazenda em Santo Antônio de Jesus, quando a turma estudava Medicina da Universidade Federal da Bahia. Na primeira noite, a cama não suportou o peso do então gordíssimo Vaccarezza, que foi ao chão. E dormiu por lá mesmo, até porque não havia outra cama. No dia seguinte, o amigo anfitrião o levou para casa de praia da família, em Itaparica. De novo, a cama não suportou o peso. Pela segunda vez dormiu no chão. No domingo, já em Salvador, ainda na casa do amigo, durante madrugada ouviu-se um estrondo. Era a cama de Vacarrezza, que, como as outras, não suportou o peso. Aturdido, o amigo foi levá-lo em sua própria casa temendo as reclamações da mãe, diante do prejuízo de três camas quebradas num único fim de semana.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation