Política nacional 11/08/2011

“Eles vêm da Marta, sim, do tempo da Marta e depois dela”.

Sergio Guerra (PE), presidente do PSDB, e os amigos de Marta Suplicy presos pela PF.

Ex-ministro teme que Dilma não conclua mandato
Oex-ministro José Dirceu manteve em Brasília conversas reservadas com dirigentes e políticos aliados, como o senador José Sarney, além de líderes partidários. Para um dos senadores do PMDB com quem conversou, Dirceu está “apavorado” com erros da presidenta Dilma no relacionamento com partidos e o Congresso. O ex-ministro deixou claro aos interlocutores o seu temor: que Dilma não conclua o mandato.

Euzinha’ no comando
A preocupação de Dilma é não virar refém do Congresso e desautoriza o meio-de-campo de ministros: “Quem manda aqui sou euzinha”, avisa.

Súplica de Ideli…
Na reunião anterior do conselho político, Ideli Salvatti tomou bronca após um apelo para o Congresso votar: “Peço, imploro aos senhores…”

…desautorizada
Dilma interrompeu, desautorizando a ministra e provocando mal-estar: “Ideli, isso de pedir, implorar, é coisa sua, não minha, nem do governo”.

Filme antigo
O último presidente que pretendeu governar ignorando o Congresso acabou derrubado por um impeachment.

Pólo de Manaus abre guerra contra importadores
O governador do Amazonas, Omar Aziz, compara importadores de aparelhos de ar-condicionados do tipo split a contrabandistas “legalizados”. Ele diz que o Pólo de Manaus até 2009 produzia 80% dos splits vendidos no Brasil, hoje responde por pouco mais de 20%, em razão das importações que geram empregos na China e na Coreia. Aziz destaca que só esse setor emprega 5 mil empregos em Manaus.

Limitações
O uso de gás pela indústria de splits, no Pólo de Manaus, é limitado pelo protocolo de Kyoto, que o Brasil subscreveu; importadores, não.

Desigual
Outra queixa dos fabricantes de splits no Pólo de Manaus: eles são obrigados a comprar os compressores no Brasil; os importadores, não.

Votou, bye, bye
Desde 13 de dezembro, Dilma não dá a mínima para os 745,7 mil seguidores do seu twitter. Prometeu voltar em 2011, mas esqueceu.

Operação bota fora
O PMDB identificou um movimento do PT para derrubar o senador Romero Jucá (RR) da liderança do governo, vazando denúncias contra ele. Quem deseja seu lugar é o senador Walter Pinheiro (PT-BA).

Operação Voucher
O ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) achou abusivo a Polícia Federal algemar e exibir os presos da Operação Voucher. Mandou apurar. Os chefes da operação podem ser punidos disciplinarmente.

Culpados se beneficiam
O deputado Sergio Carneiro (PT-BA) lembrou ontem que está em vigor a súmula vinculante 11, do Supremo Tribunal Federal, limitando uso de algemas aos casos de resistência à prisão e “fundado receio de fuga”, sob risco de punição do policial e nulidade da prisão e do processo.

Leite derramado
Ao ver referência a seu nome, na TV, a deputada Fátima Pelaes (PMDB-AP), que mandou R$ 4 milhões em emendas para a ONG corrupta no Amapá, caiu no choro no gabinete na Câmara.

Comendador
Além dos ministros da Casa Civil e da Justiça, receberá hoje a Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho, do TST, o professor e doutor Osmar Paixão Côrtes, um dos advogados mais admirados de Brasília.

Romário na 3ª DP
O deputado Romário (PSB-RJ) tem sido adotado por Brasília. Visitou  a 3ª DP, no  Cruzeiro, a convite do delegado e amigo Onofre Martins. Foi o total alvoroço de policiais para conseguirem o autógrafo do “Baxinho”.

Tá russo
Oficialmente, a desculpa foi falta de interesse. Mas ninguém esconde no governo da Rússia, potência bélica, que faltou dinheiro para o país mandar comitiva aos Jogos Mundiais Militares no Rio, mês passado.

Sem relatório
O presidente do TCU, ministro Benjamin Zymler, ligou ao general Enzo Peri, comandante do Exército. Disse não existir relatório – só notas técnicas – sobre eventuais irregularidades em contratos com empresas.

Rapidinha
A presidenta Dilma inaugurou o governo-motel: o ministro entra, goza com a nossa cara, e sai.

PODER SEM PUDOR
O homem dos bigodes
Derrotado na disputa pelo governo do Ceará, em 1990, o ex-ministro Paulo Lustosa resolveu percorrer o Estado agradecendo os votos dos eleitores. Nos cafundós, pelas 3h da madrugada, muito cansado, pediu abrigo na casa de um agricultor. O homem, sonolento, atendeu Lustosa com simpatia, sem saber com quem estava falando. O político não perderia a chance:
– Diga-me, moço, em quem vocês votaram para governador?
– Mulher! – gritou o homem para dentro de casa – em quem a gente votou?
– Foi naquele moço de bigode, o Lustosa!
O ex-candidato cofiou os bigodes e se apresentou:
– Eu sou o Lustosa e andei a noite inteira para vir aqui agradecer a vocês…

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation