Política nacional 12/08/2011

“O sr. Dirceu pode ficar tranquilo que a presidente terá total apoio”.

Senado Pedro Simon (PMDB) sobre o temor do ex-ministro quanto ao futuro de Dilma.

Rebelião da base aliada paralisa o Congresso
O Congresso ameaça não votar projetos relevantes até o final do ano. A rebelião é da base governista e a oposição, sempre inerte, assiste a confusão de camarote. O clima é tenso no Senado, mas na Câmara o problema é mais grave. Deputados ameaçam votar apenas matérias que o governo não deseja: a regulamentação da Emenda 29 (Saúde) e a PEC 300, que fixa piso salarial nacional de R$ 3 mil para policiais e bombeiros. Com aliados assim, Dilma não precisa de oposição.

Sempre elas
A rebelião da base aliada é provocada pela retenção das “emendas parlamentares”, por ordem de Dilma, embora previstas no Orçamento.

Um gozador
O presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), fez um cronograma de votações que nem ele levou a sério. Maia e Dilma não se bicam.

Muy amigo
A situação do governo está tão delicada que é o próprio PMDB, maior partido aliado, quem obstrui a pauta no plenário.

Resquícios
Parlamentar governista acha que vai mal a relação de Dilma com o Congresso: “Ela está mais parecida com Collor do que com Lula…”

Aprovados processam
Cerca de 160 pessoas lesadas em concurso para inspetor penitenciário no estado do Rio entraram na Justiça contra o governo. Aprovados em exame de 2006 pela Secretaria Penitenciária, pelo menos 30 pediram demissão de seus empregos para ingressar na carreira, mas não foram convocados. A decisão do Supremo Tribunal Federal, que determina nomeação de aprovados em concurso, reforça a ação do grupo.

Barrados
Antes que os 160 aprovados cumprissem a etapa final, na Escola de Gestão Penitenciária no Rio, a Justiça impediu a prorrogação.

(In) justiça
A Procuradoria do Estado foi desfavorável à terceira prorrogação. Resultado: só os primeiros 270 aprovados foram chamados.

Fundo perdido
Cada candidato pagou R$ 80 só na inscrição. Muitos são do interior e gastaram com passagem e hospedagem para a fase de treinamento.

Diálogo de surdos
O líder do governo no Congresso, deputado Mendes Ribeiro (PMDB/RS), anda apreensivo com o clima de beligerância na base aliada. Exausto, desabafou: “não consigo conversar com ninguém”.

Manda quem pode
Se a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) não conseguir liberar as emendas parlamentares, como impõem os líderes dos partidos, a pauta será MP-Manda quem Pode ou Medidas Provisórias.

Sem transponder
O novo diretor-geral da Anac, Marcelo Guaranys. Ele não sabe a quem obedece: Solange Vieira, ex-diretora, ou Beto Vasconcelos, subchefe da Casa Civil. Recebe ordens dos dois, às vezes conflitantes.

Atestado
O jornalista Carlos Henrique, que foi secretário de Imprensa da Presidência da República, revela que é eleitor do ex-deputado Colbert Martins, preso na Operação Voucher, da PF, e acredita em sua inocência porque sempre o teve na conta de um sujeito decente.

No estaleiro
O Sindicato dos Petroleiros do Rio está de olho na restauração da Plataforma P-10, no estaleiro Mac Laren. A Petrobras impede os sindicalistas de conferirem o reparo no casco. Eles ameaçam retaliar.

Cedraz esclarece
Em nota, Cedraz & Tourinho Dantas Advogados nega que o sócio Tiago Cedraz atue no TCU, e informa que o escritório teve acesso ao processo do cliente Ibrasi, investigado na Operação Voucher, após solicitá-lo formalmente. Detalhe: o Ibrasi foi derrotado no TCU.

Ordem questionada
O presidente interino da Codeplan (empresa pública de planejamento do governo do DF), Julio Miragaia, convocou assembleia dos fun-cionários, nesta sexta, para se rebelar contra decreto do governador Agnelo Queiroz determinando a mudança de sede do órgão.

Paes reza com o PRB
De olho na reeleição, o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), criou uma coordenadoria para tocar o programa Cimento Social, concebido pelo senador Marcelo Crivella (PRB), para construir casas populares em vinte favelas. Crivella indicou Fernando Meira para o cargo.

Pergunta indiscreta
Será que Lula se apressou a dar conselhos para Dilma antes que ela procurasse FHC?

PODER SEM PUDOR
Um Jobim desafinado
O deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) estava certa vez no Conselho de Ética espiando uma tevê que transmitia o julgamento do Supremo Tribunal Federal, no qual o ex-ministro José Dirceu foi derrotado. Mas não resistiu ao ver o então presidente do STF, ministro Nelson Jobim, votar a favor do ex-chefe da Casa Civil do governo Lula:
– É o único Jobim que sai do tom…

Assuntos desta notícia


Join the Conversation