Política nacional 17/08/2011

“O ministro da controladoria não controla coisa nenhuma”.

Senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) sobre Jorge Hage, da Controladoria-Geral da União.

Americano teve encontro secreto com Amorim
Oalmirante-de-esquadra Gary Roughead, chefe de Operações Navais da Marinha dos Estados Unidos, fez o ministro Celso Amorim (Defesa) pegar um jatinho para se reunir com ele a portas fechadas, na sede da Marinha, centro do Rio. Para quem detesta americanos, Amorim foi muito solícito: a reunião durou 40 minutos. Ninguém diz o que o militar veio fazer no Brasil no dia 10, dois após a posse do ministro da Defesa.

Estratégia
Os americanos buscam aproximação estratégica com o Brasil, fazendo contraponto ao semiditador venezuelano Hugo Chávez, hostil aos EUA.

Quarta Frota
O Ministério da Defesa não confirmou se na reunião foi discutida a reativação da 4ª Frota Naval americana, a que o Brasil se opôs.

Obviedade
A visita do chefe da Marinha americana ocorreu entre os dias 10 e 12. Segundo a Marinha brasileira, foram tratados “assuntos comuns”. Anrã.

Novilíngua
Roubalheira no DNIT virou “expansão extraordinária de aditivos” para o ministro Paulo Sergio Passos (Transportes), ontem, no Senado.

Árabes querem dinheiro
Empresa controlada pela Dubai Ports World, dos Emirados Árabes, a Embraport quer financiamento da Caixa (R$ 633 milhões) e do BNDES para conseguir no Brasil R$ 1,5 bilhão para seu empreendimento no porto de Santos. A Embraport, da qual a empreiteira Odebrecht é sócia também, quer dinheiro de bancos públicos para financiar uma atividade ilegal: operar porto privado como se fosse público, e sem licitação.

Barrada nos EUA
A Dubai Ports provocou comoção nos Estados Unidos, ao tentar comprar sete terminais de contêineres. Foi barrada pelo Congresso.

Alô, Ministério Público
O lobby pela pretendida “privatização branca” dos portos conta com a leniência da Agência Nacional de Transportes Aqua-viários (Antaq).

Disque-piada
O rolo dos Transportes tem Masella, Caixeta, Pagot e Fatureto. O do Turismo agora tem um Furtado. O bispo sem dízimo para a fiança.

Obra do Inca no Rio…
A “cumpanheirada” não teme beijar cobra na boca: o PT paulista tenta interferir na licitação desta sexta (19) para a obra de R$ 496 milhões do prédio do Instituto Nacional do Câncer (Inca), do Ministério da Saúde.

…vencedor de véspera
O ministro Alexandre Padilha (Saúde) quer concorrência limpa, mas petistas ilustres pressionam em favor da empreiteira paulista Schain. No mercado, a própria construtora paulista já se considera vencedora.

Asas da liberdade
O jornalista e empresário Humberto Silva Gomes, acusado de fraudar licitações no ministério do Turismo com a ONG Ibrasi, deve voltar ao Brasil hoje (17), e livre de algemas: obteve habeas corpus.

Por atacado
O escritório de advocacia Brito & Santos foi o responsável pela obtenção de habeas corpus de toda turma que acabou em cana na Operação Voucher, da PF, em Macapá e Brasília. Poderoso.

Maré brava
Nova bordoada no governo Sérgio Cabral: a Anistia Internacional condenou ontem o assassinato da juíza Patrícia Acioli, questionando o resultado da CPI das Milí-cias da Assembléia Legislativa. 

Exibição de bíceps
O Exército repetiria ontem, às 5h, o absurdo de sábado, quando tomou as ruas de Brasília com 950 homens armados de fuzil procurando uma camionete velha furtada. Alguém achou uma pistola, também furtada, chamou a polícia e poupou o contribuinte de mais esse desperdício.

Polo de crescimento
De janeiro a junho, o polo de Manaus faturou US$ 19,7 bilhões, 23,8% a mais que no primeiro semestre de 2010, gerando 118.700 empregos. Isso representou um crescimento de 16% em relação ao ano passado.

Assim é fácil
A Concremat, que vistoria os bueiros-bomba no contrato “emergencial” de R$ 4 milhões com a prefeitura do Rio, foi fundada pelo avô do secretário de Turismo, Antônio Pedro Viegas Figueira de Mello.

Pensando bem…
…o problema da corrupção não é só o “jeitinho”, mas também o jatinho.

PODER SEM PUDOR
Disque Márcio Fortes
Acostumado a tratar pessoalmente assuntos do trabalho sem rodeios e diretamente tanto com políticos quanto com populares, o então ministro das Cidades no governo Lula, Marcio Fortes, se empolgou durante entrevista a um jornal carioca e autorizou a publicação do seu celular para qualquer dúvida de interesse público. O jornal publicou o número com destaque. Dias depois, durante reunião em Brasília, o ministro recebeu uma ligação a cobrar de uma senhora esbaforida, que se identificou como moradora de Duque de Caxias (RJ).
– Ministro, pelo amor de Deus, estou passando mal aqui na rua, me chame uma ambulância porque ninguém me ajuda.
Marcio Fortes interrompeu a reunião e ligou para o Samu da cidade, que socorreu a velhinha.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation