Política nacional 18/08/2011

“Por que ela não reduz essa base?”

Senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), para quem é melhor com menos governistas.

Dono de ilha na Bahia era investigado há 4 anos
Oempresário, ex-deputado estadual e ex-“cartola” do futebol baiano Marcelo Guimarães, dono da ilha cinematográfica confiscada ontem pela Polícia Federal na Operação Alquimia, foi alvo de outra operação, a Jaleco Branco, da mesma PF, em 2007, contra fraudes em licitações públicas. O processo do Ministério Público Federal foi suspenso pelo Superior Tribunal de Justiça. Marcelo Guimarães tinha consultoria e contratos no Governo Federal para limpeza urbana e segurança. 

Reino encantado
A cinematográfica ilha de Saraíba, na baía de Todos os Santos, vale ao menos US$ 10 milhões e pertence à União, que autorizou a ocupação.

Pergunta no deserto
Por falta do que fazer, por que os deputados em “missão de paz” na Líbia, mas bloqueados na Tunísia, não dão um pulo até a Somália?

Prestígio
O governador Eduardo Campos (PE) provoca ciumeira. Ele almoçou com Dilma a sós, na terça. Nem o vice Michel Temer teve o privilégio.

Língua solta
O honorável Antonio Palocci não irá mais para o Instituto Lula. Mas a ex-primeira-dama Marisa tem lugar garantido. Pode ser telefonista.

Lobista quase assistiu
O lobista Julio Cesar Fróes Fialho, acusado de negócios escusos no Ministério da Agricultura, teve comportamento suspeito quando o ambientalista Chico Mendes foi assassinado, em 1988. Ele se assinava “Júlio Cesar Fialho” e era editor do jornal O Rio Branco, do então deputado Narciso Mendes, ligado a fazendeiros, e chegou ao local do crime quase imediatamente, apesar dos 188km de imensos lamaçais amazônicos entre Rio Branco e Xapuri, pilotando um modesto VW Gol.

Premonição
Insinuou-se no Acre que a notícia teria sido redigida antes do crime. O jornal alegou ter feito em 1 hora e meia o percurso Rio Branco-Xapuri.

Testemunho
O senador Jorge Viana (PT-AC) lembra que na noite da morte de Chico Mendes levou 3 horas de Rio Branco a Xapuri, em uma potente Toyota.

Demolição
A “façanha” de Julio Fróes foi demolida por Zuenir Ventura, em abril de 1989, na reportagem “O Acre de Chico Mendes”, do Jornal do Brasil.

Devassa no Turismo
O ministro Augusto Nardes, do Tribunal de Contas da União, cujo trabalho resultou na Operação Voucher, da PF, determinou auditoria minuciosa em todos os convênios do Ministério do Turismo, celebrados entre 2008 e 2011. Não vai sobrar pedra sobre pedra.

Enterrar era preciso
A demissão do ex-ministro da Agricultura Wagner Rossi foi a estreia do vice Michel Temer na articulação política do governo. Rossi, seu aliado, virou um cadáver insepulto do qual o governo precisava se livrar.

Manda quem pode
A presidenta Dilma ordenou aos “movimentos sociais”, por meio dos sindicatos da CUT, a redução da Marcha das Margaridas, antes com previsão de 70 mil manifestantes. Foram reduzidos à metade.

Green Box
Tecnologia revolucionária será lançada no Brasil pela empresa Ig-Fuel: o Green Box, acessório acoplado ao motor, reduz o consumo de diesel em até 30%. Tem provocado espanto em autoridades e empresários, nos testes que se realizam no autódromo Nelson Piquet, em Brasília.

Rio perdeu a grana
Com a Europa na pindaíba, o governo francês negou empréstimo de € 650 milhões ao governo do Rio, alardeado em junho, na França, pelo governador Sérgio Cabral, para a linha 4 do metrô, entre outras obras.

Reflorestamento
O senador Rorigo Rollemberg (PSB-DF) vai propor uma emenda ao projeto do Código Florestal obrigando bancos oficiais a concederem juro zero em financiamentos para os produtores reflorestarem áreas degradadas. O projeto será votado na primeira quinzena de novembro.

Memórias do terror
O terrorista Cesare Battisti pode enfrentar problemas na distribuição na Itália do livro que finaliza para a editora Martins Fontes, sobre sua vida “dramática”. Jornais italianos já falam em boicote à macabra obra.

Tucanagem
O ex-delegado Protógenes Queiroz, às voltas com miragens na Tunísia, após frustrada “visita de paz” à Líbia, lamentou no Twitter a saída do diretor Paulo Lacerda, que abriu espaço “à ala tucana” na PF.

Pensando bem…
…enquanto a economia esfria, a política esquenta, com Dilma em banho-maria.

PODER SEM PUDOR
Me erre
Heráclito Fortes (DEM-PI) era senador e passou uns dias sem aparecer no Senado. Ao retornar, foi saudado por sua desafeta preferencial, a então senadora Ideli Salvatti (PT-SC):
– Ora, viva! Então o senhor reapareceu, bonito, cheio de amor para dar!
O senador olhou-a de cima para baixo e tripudiou:
– Mas não para a senhora!…

Assuntos desta notícia


Join the Conversation