Política nacional 23/08/2011

“Eu disse desde o início: a disposição de São Paulo era colaborar”.

Governador Geraldo Alckmin (PSDB) sobre as relações amistosas com Dilma Rousseff.

Filha de Teixeira mora no apartamento da Barra
A Polícia Civil do DF deverá interrogar o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, sobre uma “coincidência” bombástica: Joana Havelange, sua filha, mora há anos no apartamento de cobertura, na Barra da Tijuca, no Rio, que em 2009 ele adquiriu por R$ 720 mil de Cláudio Abraão, que o teria comprado pelo mesmo valor, em 2002. Cláudio é irmão de Wagner Abraão, que ganhou da CBF um dos melhores negócios da Copa de 2014: os direitos da venda dos ingressos corporativos (vips).

Entre amigos
Os direitos de venda de ingressos corporativos para a Copa foram obtidos pelo Grupo Águia, de Wagner, e a Traffic, por US$ 45 milhões.

Parceria
A agência de viagens de Wagner Abraão, velho parceiro de Ricardo Teixeira, é que organiza as viagens da seleção e pacotes para Copa.

Acusação
Em 2011, a CPI do Futebol já acusava a agência de Abraão de suposto superfaturamento de preços de hotéis e passagens da seleção.

Detalhes
A Polícia do DF vem puxando o fio do novelo ao investigar o patrocínio de R$ 9 milhões no jogo Brasil x Portugal, em 2008, em Brasília.

PPP marota no DF
A “Parceira Público Privada” (PPP) para a obra centro administrativo do governo do DF, em Ceilândia, a 26 Km de Brasília, está estimada em R$ 400 milhões, terá financiamento público do BNDES e o próprio governo do DF será o avalista. Além de tudo, a garantia oferecida ao banco é o contrato de aluguel, em que o governo do DF pagará R$ 5,5 milhões ao mês. Generosidade que não se vê nem em negócio de pai para filho.

Transferência
O projeto do centro administrativo de 170.000 mil metros quadrados, do governo do DF, transfere para Ceilândia o centro do poder da Capital.

Contrato
A PPP com a Via e a Odebrecht foi armada pelo ex-governador biônico Rogério Rosso e Durval Barbosa, ex-presidentes da Codeplan.

Segredo revelado
Mantida em segredo, a PPP para a construção do centro administrativo poderá ser anunciada nos próximos dias pelo atual governo do DF.

Lula lá
Para quem chamou Muammar Kafhafi de “meu amigo, meu mestre, meu líder”, o ex-presidente Lula já deveria ter feito declaração solidária ao tirano. Ou se unido a ele, armas em punho, contra o levante popular.

Boca maldita
Lula também se calou quando o jornalista Andrei Neto, do jornal O Estado de S. Paulo, ficou oito dias preso na Líbia em março, capturado pelo exército do ditador.

Bumbum de fora
O Ministério das Relações Exteriores continua subserviente ao aspone para assuntos internacionais aleatórios, Marco Aurélio Top-Top Brasil: no final da tarde de ontem, ainda hesitava apoiar os rebeldes na Líbia.

Megalobobo
Outro mico da era Celso Amorim no Ministério das Relações Exteriores: o voto contra sanções ao ex-presidente da Costa do Marfim Laurent Gbagbo, que está preso por fraude e abuso econômico.

Mosca gelada
Com a ex-ministra mergulhada em denúncias, o ministro mosca morta Luiz Sérgio (Pesca) está na Islândia para “acordos de cooperação”, onde destacou a “importância” da pasta. Os islandeses acreditaram.

Troféu Tartaruga
Se o Japão reconstruiu em 6 dias uma rodovia destruída pelo tsunami, o governador de Alagoas, Teotônio Vilela (PSDB), garante o Guiness da lerdeza: arrasta-se há quase 4 anos a construção de uma estrada de apenas 25 Km, entre os paraísos de Maceió e Barra de São Miguel.

Agência da Copa
O Governo Federal estuda criar uma agência de eventos que cuide do calendário oficial. A idéia tomou corpo no DF e o governador Agnelo Queiroz pode instituir a agência de Brasília de olho na Copa de 2014.

BB é da CUT
O Banco do Brasil virou instrumento da CUT para tentar asfixiar outras entidades. Recusou-se a receber a Conlutas, avisando que só trata com a CUT. “Quem tem legitimidade para representar o trabalhador é o sindicato, e não as confederações”, lembra Beto Castilho, da Conlutas.

Pensando bem…
…isso é que faxina. Na Líbia. 

PODER SEM PUDOR

Existe jantar grátis
O falecido deputado Maurício Fruet (PR) era mesmo um gozador. Nomeado prefeito de Curitiba em 1983, ele cedeu a vaga na Câmara ao suplente Dílson Vanchin, marinheiro de primeira via-gem. Fruet aplicou-lhe uma “peça”, dizendo que era praxe vender tudo o que havia no gabinete. Vanchin nem desconfiou dos valores irrisórios que pagou. Contou a amigos:
– Dizem que o Fruet é esperto. Que nada! Fiz o melhor negócio da vida!
Convidado para um jantar com a bancada, na despedida de Fruet, Vanchin soube então que o dinheiro era para pagar a conta do restaurante…

Assuntos desta notícia


Join the Conversation