Política nacional 31/08/2011

“Virei garoto-propaganda do regime militar”.

José Dirceu, que recebeu até tratamento dentário do Exército para desmentir torturas.

Saúde: projeto propõe taxar grandes fortunas
Como a presidenta Dilma desafiou parlamentares a apontarem a fonte de financiamento da Emenda 29, que garante recursos para saúde, um dos seus mais ilustres aliados, senador Antonio Carlos Valadares (PSB-PE), decidiu apresentar nesta quarta-feira um projeto criando o imposto sobre grandes fortunas. O senador está convencido de que a taxação garantirá ao Estado os recursos de que a Saúde necessita.

Um especialista
Dilma acha Valadares um especialista (foi o autor do projeto da CPMF), e espera dele um projeto apontando uma fonte para financiar a saúde.

Está na Carta
O Imposto sobre Grandes Fortunas é previsto na Constituição, mas não entrou em vigor porque não há lei complementar que o regulamente.

O primeiro
O então senador FHC propôs em 1989 o imposto de grandes fortunas. Foi aprovado, mas empacou ao chegar à Câmara dos Deputados.

Engavetado
Na Câmara, a Comissão de Constituição e Justiça também aprovou um projeto de imposto sobre grandes fortunas, mas continua na gaveta.

Bala na agulha
Adeus vôos comerciais de consultor iniciante: Lula saiu de Guarulhos (SP) às 12h35 de segunda (29), rumo à Bolívia para se encontrar com o maluquete Evo Morales, no Gulfstream de US$ 35 milhões, prefixo PP-WJB, alugado à Colt Táxi Aéreo, de São Paulo. O “cumpanhêro” tentou esfriar a fúria dos índios contra a rodovia da OAS na Amazônia boliviana, financiada pelo BNDES. Adivinha quem pagou…

Inimigo escolhido
Lula continua com a língua presa, mas afiada. A um amigo na visita recente a BH, xingou: “O Aécio só fala m(*)! Ele que vá pra p(*)…”.
 
PT & PSDB, nem morto
Lula disse que não há a menor possibilidade de o PSDB repetir com o PT aliança que elegeu prefeito Marcio Lacerda em Belo Horizonte.

Clima de velório
DEM e o PSDB fizeram a primeira reunião da comissão conjunta que planejará os palanques da oposição em 2012. O desânimo era total.

Gongo na Bancoop
O Ministério Público de São Paulo aprovou ontem, por unanimidade, propor ação civil pública para intervenção na Cooperativa Habitacional dos Bancários, suspeita de desviar fundos para campanhas do PT.

Infraero Turismo S/A
A estatal Infraero vai mandar a chefe de RH, Regina Azevedo, e um gerente, Roberto Maia, a um seminário em Orlando (EUA), que inclui ingressos para o Cirque du Soleil, parques, shoppings e show. Os burocratas chamam isso de “aprendizado”, que nos custará R$ 33 mil.

Pau puro
O pau quebrava na Câmara, na votação do caso da deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF), enquanto no Senado o líder do PR, Magno Malta (ES), exaltava a luta livre do Bope no Rio.

Mão grande
Um pilantra financiou no Itaú, “o banco mais sustentável do mundo”, um Honda Civic zero em nome de leitora que há 11 anos mora no exterior, e que encerrou a conta há três. O rolo na Justiça promete ser ruidoso.

Tô indo
O deputado Sandro Mabel (GO) decidiu sair do PR, partido que foi varrido do Ministério dos Transportes. Diz que ninguém consegue tirar o notório Valdemar Costa (SP) do comando. Triste, jogou a toalha.

A força do voto
Termina hoje a enquete em senado.gov.br/noticias/DataSenado perguntando se a corrupção deve ser incluída no projeto de crimes hediondos. Já são mais de 90 mil votos. Com 200 mil, fecha a conta.

Ginásio de volta
O governador do DF, Agnelo Queiroz, decidiu recuperar o ginásio de esportes Cláudio Coutinho, fechado há dez anos, para servir de espaço de apoio à Copa. O ginásio fica a poucos metros do Estádio Nacional.

Mãos omissas
Passageiros reclamam que empresas aéreas ignoram a nova lei sobre taxa de cancelamento ou remarcação de vôo, que continua cobrando. A Agência Nacional de Aviação Civil lavou as mãos. Claro.

Sufoco
Durante seu julgamento na Câmara, ontem, Jaqueline Roriz (PMN-DF) se refugiou por dez minutos no banheiro, para exercícios de respiração.

PODER SEM PUDOR
Provocação colorada
O ministro Joaquim Falcão apresentava certa vez ao Conselho Nacional de Justiça um competente raio-x das estatísticas do Judiciário, e citava os números de ações na área esportiva, quando Nelson Jobim, que presidia o CNJ, torcedor do Internacional, provocou:
– A variável fica prejudicada se tiver algum jogador do Flamengo em campo!
O representante da OAB no CNJ, Oscar Argollo, rubronegro doente, não se conteve:
– Não aceito provocação!…

Assuntos desta notícia


Join the Conversation