Que se esclareça

Sempre se disse que a construção do chamado segundo ‘linhão’ entre Rondônia e Acre seria fundamental para garantir com segurança e confiabilidade o fornecimento de energia. Agora vem o superintendente do Ibama e afirma que não é. Pior do que isso: o órgão teria até negado licença ambiental para a sua construção. Ou seja, alguma coisa está errada, não está batendo e é preciso que se esclareça.

O que não se pode negar é que o Acre vem sofrendo graves prejuízos com constantes interrupções no fornecimento de energia. Só nas últimas semanas, foram cerca de dez ‘apagões’, causando transtornos e prejuízos de toda a ordem aos consumidores.

A julgar pelas explicações dos executivos e técnicos das empresas concessionárias de energia, a construção dessa segunda linha de transmissão é necessária sim e é preciso que se reverta o quanto antes essa decisão do Ibama.

Aliás, este órgão também tem lá sua responsabilidade, já que ficou provado que um dos motivos das recentes interrupções foram as queimadas em áreas rurais ao longo da linha de transmissão.
Divergências a parte, é preciso que se resolva essa questão com responsabilidade e racionalidade, visando os interesses maiores do Estado e sua população. Como está não pode continuar.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation