MUITO A COMEMORAR: MÊS DE COMEMORAÇÃO DO DIA DO ADVOGADO

robertoevaldirpbanner
Mês de Agosto comemoramos o Dia do Advogado. Advogado é aquele que se realiza no que faz. É aquele que fez uma escolha visando promover o bem da Humanidade. O Advogado não pode ser um mercador da sua arte. Os que nela – ADVOCACIA – se frustram são os que não têm um ideal de dedicação ao próximo.

No dia 11 de agosto, data festiva dos Advogados, faz todo sentido uma advertência aos jovens bacharéis, ou seja, aqueles que ingressarão na profissão. Mirem-se no exemplo daqueles que fizeram da advocacia um sacerdócio, e não nos que escandalizam e envergonham à classe.

A advocacia não tolera a dúvida vocacional, quem a exerce caminha sobre meandros tortuosos, onde a coragem se torna um importante valor.

O advogado se identifica com o Direito e com a causa, sendo que a advocacia o acolhe, o emana e o envolve, assim a advocacia talvez seja o estado mais elevado do espírito, o qual deverá ser forjado pelo causídico diuturnamente nos mais altos valores morais no cumprimento do árduo labor.

VOLTAIRE, sem ser Advogado, chamou-a de “a mais bela de todas as profissões”. E ele tinha autoridade para tal. Mesmo não sendo Advogado, fez a defesa da memória de CALAS e LA BARRRE. Apenas por essas duas defesas, segundo o poeta VICTOR HUGO, em discurso que fez no aniversário de 100 (CEM) anos da morte do filósofo, seria um dos mais importantes homens da humanidade. VOTAIRE advogou a causa da tolerância.

A visão do PAPA PAULO VI, sobre a advocacia, e a consideração que tinha pela profissão, não era diferente da de VOLTAIRE. Ao receber no Vaticano os membros do Conselho da União Internacional dos Advogados, dirigiu-lhes a palavra ressaltando, no preâmbulo de sua manifestação, que “tão bela profissão é uma daquelas que a Igreja considera com estima e respeito”.

Disse mais: “A Igreja vê, logo de início, no advogado o homem que consagra sua existência a assistir aqueles que não têm possibilidade de defender-se por si mesmos”. Finalizando, disse: “Ninguém, talvez, a não ser o sacerdote, conheça melhor do que ele a vida humana sob seus aspectos mais variados, mais dramáticos, mais dolorosos, por vezes os mais defeituosos, mas não raro também os melhores”.

Estes dois eloqüentes depoimentos seriam suficientes para, a partir deles, os jovens bacharéis discernirem que profissão adotar. Ressalte-se que são depoimentos de homens que não foram Advogados, mas que tinham autoridade para falar sobre a importância social do munus exercido pelo Advogado.

Os jovens bacharéis devem ter como paradigmas aqueles que foram faróis da advocacia.
Que fizeram da profissão a causa maior das suas existências. Que tinham uma idéia fixa.  Mas, da idéia fixa que é boa e verdadeira e que é capaz de produzir o Herói e o Santo. Aquela idéia fixa que torna o homem um servidor útil da humanidade, como diz ANNIE BESANT, em os IDEIAIS DA TEOSOFIA.

No Brasil, são muitos os exemplos de Advogados que poderiam inspirar muitos pretendentes à carreira.

Entretanto, a vôo de pássaro, no pequeno espaço desse artigo, citemos 04 (QUATRO) deles, tangenciando o papel que tiveram para o engrandecimento da advocacia e da Pátria.

LUIZ GONZAGA PINTO DA GAMA, nasceu no dia 21 de julho de 1830, no Estado da Bahia.  Seu pai era um fidalgo português, que em 1840 vendeu o próprio filho a um traficante de escravos, para pagar dívidas de jogo.

Dizem seus biógrafos: “A alma de Luiz Gama era tão pura e generosa que jamais se permitiu revelar, a quem quer que seja, o nome de seu pai, que se cobriu de opróbrio com este gesto monstruoso”.

Sua tragédia pessoal não o fez se revoltar com sua própria sorte. Pelo contrário! Tornou-se Advogado. Defendeu a causa dos escravos, tendo, valendo-se do instituto do habeas corpus, libertado muitos cativos como ele.

Vociferava no tribunal do júri: “Aquele negro que mata alguém que deseja mantê-lo escravo, seja em qualquer circunstância, mata em legítima defesa”. Libertou mais de 500 (QUINHENTOS) escravos.

RUI BARBOSA, estadista e escritor, nasceu em Salvador, Bahia, no dia 5.11.1849, morreu em Petrópolis, Rio de Janeiro no dia 01.03.1923. RODRIGUES ALVES, Presidente da República designou-o como representante do Brasil na II Conferência de Paz, em Haia, onde demonstrou excepcional habilidade, cultura e inteligência.

Por seus feitos nessa conferência recebeu o cognome “Águia de Haia”. Poderia ter ocupado qualquer cargo nas carreiras jurídicas. Morreu Advogado.

Sobre a profissão do Advogado criminalista deixou-nos um Tratado de Deontologia Jurídica – O Dever do Advogado – obra a ser lida por todos aqueles que querem servir a Humanidade defendendo os acusados.

JOAQUIM NABUCO obstinou-se por uma única causa: a Abolição da Escravatura.  Dizia: “Sou um homem de uma só idéia, mas não me envergonho dessa estreiteza mental porque essa idéia é o centro e a circunferência do progresso brasileiro”.

JOAQUIM NABUCO foi Advogado de uma única causa. Como Advogado libertou milhões de brasileiros e seus descendentes. Dizia que não bastava a abolição da escravatura, mas também a destruição de sua obra. Legou-nos obras imortais, a exemplo de “Um Estadista do Império”, livro de cabeceira dos grandes Políticos – com P maiúsculo – brasileiros. “Minha Formação” deve ser lida por todos que aspiram à glória de ser Advogado.

HERÁCLITO FONTOURA SOBRAL PINTO é um dos mais célebres Advogados brasileiros. Defendeu presos e perseguidos políticos durante as ditaduras do Estado Novo e Militar. Morreu com 98 anos, ainda Advogado.

Em 1936 defendeu LUÍS CARLOS PRESTES e HARRY BERGER, líderes da Intentona Comunista de 1935, causa célebre em que, procurando livrá-los das condições desumanas a que estavam submetidos na prisão, invocou a Lei de Proteção aos Animais. Em 1964 é o primeiro a chamar o regime militar de ditadura.

Logo, inenarrável efeito advocante é consubstanciado em diversas partículas necessárias à realização do direito, sendo por este viés indispensável à administração da tão aclamada justiça.

Nossos melhores votos de sucesso, paz, saúde e trabalho a todos os ADVOGADOS acrianos em seu mês de data festiva!

*Roberto Duarte Júnior, Advogado militante
*Valdir Perazzo Leite, Defensor Público

Assuntos desta notícia


Join the Conversation